Quinta, 18 Janeiro 2024 14:15

FRATERNIDADE E AMIZADE SOCIAL – Prof. Juacy da Silva

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

 

****

Espaço Aberto é um canal disponibilizado pelo sindicato
para que os docentes manifestem suas posições pessoais, por meio de artigos de opinião.
Os textos publicados nessa seção, portanto, não são análises da Adufmat-Ssind.
 
****

JUACY DA SILVA*

 

“Cada dia é-nos oferecida uma nova oportunidade, uma etapa nova. Não devemos esperar tudo daqueles que nos governam; seria infantil. Gozamos dum espaço de corresponsabilidade capaz de iniciar e gerar novos processos e transformações. Sejamos parte ativa na reabilitação e apoio das sociedades feridas. Hoje temos à nossa frente a grande ocasião de expressar o nosso ser irmãos, de ser outros bons samaritanos que tomam sobre si a dor dos fracassos, em vez de fomentar ódios e ressentimentos. Como o viandante ocasional da nossa história, é preciso apenas o desejo gratuito, puro e simples de ser povo, de ser constantes e incansáveis no compromisso de incluir, integrar, levantar quem está caído; embora muitas vezes nos vejamos imersos e condenados a repetir a lógica dos violentos, de quantos nutrem ambições só para si mesmos, espalhando confusão e mentira. Deixemos que outros continuem a pensar na política ou na economia para os seus jogos de poder. Alimentemos o que é bom, e coloquemo-nos ao serviço do bem. É possível começar por baixo e caso a caso, lutar pelo mais concreto e local, até ao último ângulo da pátria e do mundo, com o mesmo cuidado que o viandante da Samaria teve por cada chaga do ferido. Procuremos os outros e ocupemo-nos da realidade que nos compete, sem temer a dor nem a impotência, porque naquela está todo o bem que Deus semeou no coração do ser humano. As dificuldades que parecem enormes são a oportunidade para crescer, e não a desculpa para a tristeza inerte que favorece a sujeição. Mas não o façamos sozinhos, individualmente”. Papa Francisco, Encíclica Fratelli Tuttii (Somos todos irmãos), 03/10/2020

A história humana pode ser observada a partir de uma violência constante e de todas as formas, conflitos armados, guerras, terrorismo, violência urbana, violência doméstica, violência de gênero, violência racial, tráfico humano, escravidão, trabalho “análogo” `a escravidão e tantos atos que provocam dor, sofrimento e morte.

Ao lado desta violência contra as pessoas e grupos humanos e também contra a natureza, o meio ambiente, não podemos nos esquecer de outras formas de violência psicológica, financeira e patrimonial, bem como a violência provocada pela fome, pela miséria, pela pobreza, pela exclusão, pelas doenças, pelo abandono e pelas diferentes formas de desigualdades.

Inspirada tanto nesta Encíclica do Papa Francisco quanto na realidade brasileira e mundial, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, refletindo sobre as comemorações dos 60 anos da existência da Campanha da Fraternidade escolheu para 2024 exatamente o o Tema FRATERNIDADE E AMIZADE SOCIAL e o Lema “Vós sois todos irmãos e irmãs”, citação do Evangelho de São Mateus, 23:8. Esses foram o tema e o lema  escolhidos pelo Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em novembro de 2022.

De acordo com o Pe. Jean Paul,  coordenador do Setor de Campanhas da CNBB, desde 1964, portanto há 60 anos, a CF vem mobilizando todo o Brasil num verdadeiro mutirão de evangelização e de conversão e, em minha opinião, estimulando os fiéis a uma reflexão crítica e criadora sobre os principais desafios que nos afligem, que são os temas e lemas escolhidos para essas Campanhas anualmente.

A Campanha da Fraternidade, anualmente, desde 1964, escolhe um tema e um lema para serem objeto de uma reflexão mais profunda por parte tanto dos fiéis católicos e também a cada cinco anos de forma ecumênica quando Igrejas evangélicas participam dessas campanhas.

“De acordo com o bispo auxiliar da arquidiocese de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Ricardo Hoepers, o tema e o lema da Campanha da Fraternidade 2024 refletem a preocupação do episcopado brasileiro em aprofundar a fraternidade como contraponto ao processo de divisão, ódio, guerras e indiferença que tem marcado a sociedade brasileira e o mundo”, CNBB,Novembro, 2022. 

Normalmente a Campanha da Fraternidade acontece durante o período da Quaresma, que é um tempo de arrependimento, de orações e de conversão e, também, de reflexão sobre a realidade brasileira, de cada Estado e de cada município/localidade ou seja, como resultado buscamos uma transformação profunda desta realidade cruel que nos cerca.

Neste ano de 2024 a referida Campanha terá início na quarta feira de cinzas, dia 14 de Fevereiro próximo e no dia 24 de Março de 2024, quando do encerramento da Campanha da Fraternidade ocorrerá uma coleta especial, destinada aos fundos diocesanos e também ao fundo nacional de solidariedade, administrado pela Cáritas Brasileira, para financiarem projetos de natureza sociotransformadora no Brasil inteiro.

O objetivo Geral da Campanha da Fraternidade é “despertar para o valor e a beleza da fraternidade humana, promovendo e fortalecendo os vínculos da amizade social, para que, em Jesus Cristo, a paz seja realidade entre todas as pessoas e povos”.

Importante também é destacar os nove Objetivos específicos da referida Campanha da Fraternidade deste ano: 1) Analisar as diversas formas de mentalidade de indiferença, divisão e confronto em nossos dias e suas consequências para toda a humanidade, inclusive na dimensão religiosa; 2) Compreender as principais causas da atual mentalidade de oposição e conflito, geradora da incapacidade de ver nas outras pessoas um irmão ou uma irmã; 3) Identificar iniciativas de comunhão, reconciliação e fraternidade, capazes de estimular a cultura do encontro; 4) Redescobrir, a partir da Palavra de Deus, a fraternidade, a amizade social e a comunhão como elementos constitutivos do ser humano; 5) Acolher o magistério da Igreja sobre a fraternidade universal, como ajuda ao discernimento nas inúmeras situações de conflito e divisão; 6) Aprofundar a compreensão da comunhão e da fraternidade como caminho para a realização pessoal e para a paz em todas as situações da vida; 7) Conscientizar sobre a necessidade de construir a unidade em meio à pluralidade, superando divisões e polarizações; 8) Estimular a espiritualidade, os processos, os hábitos e as estruturas de comunhão na Igreja e na sociedade; 9) Incentivar e promover iniciativas de reconciliação entre pessoas, famílias, comunidade, grupos e povos.

A realização da Campanha da Fraternidade tem uma Coordenação Nacional e  Coordenações em todos os Regionais da CNBB, nos diversos Estados Brasileiros e, também, as Coordenações Arquidiocesanas, diocesanas e nas paróquias, `as quais promovem desde o final de 2023 e em 2024, nos meses de Janeiro e Fevereiro, cursos de formações de agentes da Campanha e da Cáritas, visando refletir e buscar uma unidade de entendimento e de ação, tendo como fundamentos os subsídios produzidos pela CNBB (Manual Básico, Documento Base, Documentos específicos voltados para os diversos públicos que se pretende atingir; o cartaz, o hino e a oração).

Em Mato Grosso, a Coordenação da Campanha da Fraternidade do Regional Oeste 2 da CNBB, já coordenou esta formação nas Dioceses de Sinop, Cáceres e está em curso também da Arquidiocese de Cuiabá e no período que antecede o lançamento da Campanha (início da Quaresma) todas as demais Dioceses e inúmeras paróquias terão oportunidade de promoverem esta formação.

Para finalizar, cabe ressaltar que todo este trabalho é realizado de forma totalmente voluntária, dentro do espírito da Cáritas Brasileiras, que sempre tem reafirmado a importância das diferentes formas de caridade: a Assistencial (dar o peixe/comida, agasalho a quem precisa de forma imediata); a Promocional (ensinar a pescar, oferecendo cursos de formação, estimulando iniciativas de economia solidária, cooperativismo, visando criar oportunidade para emprego e renda) e, finalmente, a CARIDADE LIBERTADORA (pescar juntos, promover a MOBILIZAÇÃO PROFÉTICA, tanto para denunciar as injustiças e outras formas de desrespeito `a dignidade das pessoas quanto, atuar junto aos poderes públicos para que definam e implementem políticas públicas visando enfrentar os desafios da realidade que nos cerca).

Esses são o sentido, o significado, o alcance, a dimensão, a finalidade e  os objetivos da Campanha da Fraternidade, coerente com uma Igreja que faz a opção preferencial pelos pobres, Sinodal, Samaritana, em Saída e, também, PROFÉTICA, como tanto tem enfatizado e nos exortado o Papa Francisco!

Vale a pena participar desta cruzada evangelizadora e sociotransformadora!

*Juacy da Silva, professor fundador, titular e aposentado da universidade Federal de Mato Grosso, Sociólogo, Mestre em Sociologia, Ambientalista, Articulador da organização da Caritas Arquidiocesana de Cuiabá no final dos anos 90; Articulador da Pastoral da Ecologia Integral. Email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Ler 40 vezes Última modificação em Quarta, 21 Fevereiro 2024 11:29