Quinta, 08 Outubro 2020 18:24

 

A Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (Adufmat-Ssind) vem a público manifestar sua solidariedade e apoio à professora do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Qelli Rocha, que foi injustamente denunciada por uma colega à Comissão de Assédio Moral durante o 9º Conselho Extraordinário do ANDES - Sindicato Nacional (9º CONAD), realizado virtualmente entre os dias 28 e 30/09/2020.

O caso teve início quando, durante o debate em um Grupo Misto, a denunciante tentou incluir, à revelia do que tinha sido aprovado pelo grupo, a discussão de um Texto Resolução (TR) que seria debatido em outro momento. Defendendo o processo democrático histórico de organização da classe trabalhadora, a professora Qelli Rocha explicou que o grupo havia aprovado a discussão do TR em outro momento. Diante da insistência da denunciante, que disputa a diretoria do ANDES – SN em grupo de oposição à atual diretoria, a professora Qelli Rocha – atual vice-presidente do ANDES-SN - afirmou que a insistência caracterizava uma tentativa de manobra política. O termo “manobra” ofendeu a denunciante, que registrou o ocorrido e pediu investigação da Comissão.

A Adufmat-Ssind entende que o termo não significou, de forma alguma, qualquer agressão à denunciante. A luta dos trabalhadores para a construção de outra sociedade exige rigor da militância, além de dedicação, organização e disciplina. É muito comum, nas discussões acaloradas, que termos como “manobra” sejam utilizados entre os diferentes grupos políticos, assim como é essencial aos companheiros de classe que suas críticas e análises sejam francas, na tentativa de superar discordâncias e avançar rumo ao objetivo.

É triste que, além do desgaste das batalhas contra os opressores e algozes da classe trabalhadora, tenhamos também que lidar com melindres e ataques entre os próprios companheiros, apenas por divergências políticas.

A professora Qelli Rocha não pode se ver exposta por ser coerente com seu histórico de dedicação e firmeza na construção de outro modelo de sociedade. Não pode ser acusada por zelar pelo processo democrático construído pela classe trabalhadora organizada no ANDES - Sindicato Nacional desde a década de 1970. Não pode ser atacada por colegas, enquanto o Brasil e o mundo sofrem os efeitos do neoliberalismo agravado por uma pandemia.

À professora Qelli Rocha, toda a solidariedade e apoio da Adufmat-Ssind.

 

Cuiabá, 08 de outubro de 2020

Diretoria da Adufmat-Ssind