Segunda, 21 Junho 2021 13:51

Olá,


Neste momento grave de crise pandêmica, mas também socioeconômica e política, solidarizamo-nos com toda(o)s que adoeceram, que perderam pessoas queridas, com a(o)s profissionais da saúde e com a(o)s demais trabalhadora(e)s obrigada(o)s a se expor a riscos. 

É essencial resistirmos e lutarmos coletivamente para enfrentar estes tempos difíceis, atenta(o)s em especial ao ambiente onde trabalhamos e estudamos – a UFMT. 

Apresentamos, em anexo, o Programa da nossa Chapa para as eleições da diretoria da ADUFMAT, contando com a sua atenção, leitura e apoio.

 

Segue abaixo as nossas redes sociais:

 

Instagram: https://instagram.com/chapadompedrocasaldaliga?utm_medium=copy_link

 

 

 

Facebook: https://www.facebook.com/chapadompedrocasaldaliga

 

Convidamos ainda você para debater conosco no lançamento da nossa chapa:

 

Lançamento da Chapa: Dom Pedro Casaldáliga:Por uma Adufmat de Luta, Autônoma e Democrática!

 

 

 
Data: 21 de junho de 2021 (Segunda-feira)
 
Horas: 19h (Cuiabá)
 
 

 

(Ou abra o Meet e digite este código: dnt-jqji-oqn)

 

 
 
Terça, 01 Junho 2021 16:40

 

A Comissão eleitoral, no uso de suas atribuições, em conformidade com o Regimento da ADUFMAT–Ssind e o Regimento eleitoral ADUFMAT 2021, homologa e divulga as chapas que concorrerão às eleições da ADUFMAT 2021:

 

DIRETORIA DA ADUFMAT

CHAPA ÚNICA:

"DOM PEDRO CASALDÁLIGA: Por uma ADUFMAT de luta, autônoma e democrática!"

Diretor Geral: Reginaldo Silva de Araujo

Diretora Geral Adjunta: Gerdine Ferreira de Oliveira Sanson

Diretor Secretário: Magno Silvestri

2ª Diretora Secretaria: Márcia Leopoldina Montanari Corrêa

Diretora para assuntos de aposentadoria e seguridade social: Marlene Menezes

Diretora Tesoureira: Maria Luzinete Alves Vanzeler

Diretor de comunicação: Leonardo Moreira dos Santos

Diretora de assuntos socioculturais: Loanda Maria Gomes Cheim

 

DIRETORIA DE SUBSEÇÃO LOCAL - CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO ARAGUAIA

CHAPA ÚNICA:

"RESISTIR E ESPERANÇAR"

Coordenadora geral de subseção: Graziele Borges de Oliveria Pena

Coordenadora adjunta: Paula Pereira Gonçalves Alves

Coordenadora secretária de subseção: Ayane de Souza Paiva

Coordenadora tesoureira de subseção: Ana Paula Sacco

Coordenador de comunicação de subseção: Gilson Moraes da Costa

2° Coordenador secretário: Magno Silvestri

2° Coordenador tesoureiro: Robson da Silva Lopes

 

Cuiabá-MT, 01 de junho de 2021.

Atenciosamente,

A Comissão eleitoral.

Segunda, 31 Maio 2021 11:12

 

A Comissão eleitoral, no uso de suas atribuições, em conformidade com o Regimento da ADUFMAT–Ssind e o Regimento eleitoral ADUFMAT 2021, divulga abaixo a lista dos sindicalizados adimplentes e, portanto, aptos a participar do processo eleitoral em curso. Qualquer questionamento pode ser feito até o dia 03/06/2021 junto à secretaria da ADUFMAT.

 

Cuiabá-MT, 31 de maio de 2021.

Atenciosamente,

A Comissão eleitoral.

 

Quinta, 27 Maio 2021 11:56

 

Assembleia geral da Adufmat-Ssind, realizada nessa segunda-feira, 17/05, debateu e deliberou sobre os pontos de pauta Análise de Conjuntura e Regimento, Calendário e Contratação de Empresa para a Eleição da Diretoria do sindicato.

 

Durante os informes, a diretoria falou sobre os preparativos para o Dia 19/05, que será de mobilização em todo o país. Em Mato Grosso, um conjunto de entidades ligadas à Educação municipal, estadual e federal, planeja realizar panfletagens na Praça Alencastro, às 8h. Também será dia de paralisação das atividades na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), conforme aprovou a assembleia da Adufmat-Ssind do dia 05/05. O material da Panfletagem será a carta elaborada pela “Frente Ampla por Vida Digna, Vacinação em Massa e Contra as Políticas de Fome e Morte” (leia aqui).

 

Com relação à demanda de levar ao ANDES-SN a sugestão de promover um ato em Brasília com a chamada geração de 1968 – já vacinada – durante a reunião de Setor, como encaminhado na última assembleia, a diretoria informou que não houve possibilidade de incluir essa discussão, porque a pauta estava fechada: pela manhã o debate foi entorno do PL 5595/20, e no período da tarde, questões específicas do Plano de Lutas.

 

Pela base, o professor Reginaldo Araújo informou que a campanha de solidariedade feita pela “Frente Popular pela Vida: em Defesa dos Serviços Públicos e de Solidariedade ao Enfrentamento à Covid-19” já está circulando um segundo vídeo, e finalizando a entrega da última remessa de mil e cem cestas recebidas pela Organização Não Governamental Ação Cidadania.

 

Análise de Conjuntura

 

Os presentes iniciaram a análise de conjuntura refletindo sobre o contexto internacional, de intolerância e conflitos no Oriente Médio. Contexto que tem reflexo no Brasil e em Mato Grosso, a partir de atos como os promovidos pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso e Câmara Municipal de Cuiabá, que aprovaram moções de aplauso aos policiais que promoveram a maior chacina em operação policial do país na Comunidade Jacarezinho, no dia 06/05.  

 

Nesse sentido, os docentes avaliaram que o movimento mais explícito de incentivo ao ódio e desrespeito aos direitos humanos é também o movimento que apoia o governo Bolsonaro, e que foi às ruas no domingo em sua defesa. A manifestação em Brasília, no entanto, não mobilizou a quantidade de pessoas que esperavam, concluíram os docentes.

 

Com relação à UFMT, o destaque da assembleia foi a movimentação ainda não oficializada acerca da possibilidade de não abertura do campus da universidade em Várzea Grande. Feito o debate, foi encaminhado que a Adufmat-Ssind deverá fazer essa discussão, especialmente com a comunidade universitária do campus UFMT Várzea Grande que, na realidade, funciona em espaço adaptado dentro do campus de Cuiabá.  

 

Eleições para a diretoria da Adufmat-Ssind 2021

 

O professor Djeison Benetti, suplente da Comissão Eleitoral, informou que a reunião da realizada no dia 12/05 encaminhou a contratação da empresa Voto Online (de São José dos Campos), pelos valores, segurança e facilidades para efetuar o voto. Foram analisados quatro orçamentos, e a empresa indicada foi a que apresentou os menores valores, cerca de R$ 4.300,00. O docente também anunciou que no dia 13/05, a Comissão elaborou o calendário eleitoral e o Regimento do processo, junto a Assessoria Jurídica do sindicato, para evitar eventuais equívocos.

 

O processo eleitoral para escolha da diretoria da Adufmat-Ssind, biênio 2021-2023, será iniciado nesta terça-feira, 18/05. As inscrições das chapas serão entre os dias 24 e 28/05, pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . O pleito será realizado em dois dias: 30/06 e 01/07, e a assembleia de posse da nova diretoria será no dia 09/07.

 

Após apreciação da minuta de Regimento e algumas alterações para melhor orientar as inscrições de chapas para a diretoria e representações locais de Sinop e Araguaia, os docentes aprovaram o documento que orientará o processo eleitoral. Veja aqui o Regimento Aprovado na Assembleia Geral desta segunda-feira, 17/05.

 

Veja também o Anexo I (Calendário), Anexo II (Ficha de Inscrição para a Diretoria) e o Anexo III (Ficha de Inscrição para Representação Local em Sinop e Araguaia).

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Segunda, 17 Maio 2021 18:52

 

Assembleia geral da Adufmat-Ssind, realizada nessa segunda-feira, 17/05, debateu e deliberou sobre os pontos de pauta Análise de Conjuntura e Regimento, Calendário e Contratação de Empresa para a Eleição da Diretoria do sindicato.

 

Durante os informes, a diretoria falou sobre os preparativos para o Dia 19/05, que será de mobilização em todo o país. Em Mato Grosso, um conjunto de entidades ligadas à Educação municipal, estadual e federal, planeja realizar panfletagens na Praça Alencastro, às 8h. Também será dia de paralisação das atividades na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), conforme aprovou a assembleia da Adufmat-Ssind do dia 05/05. O material da Panfletagem será a carta elaborada pela “Frente Ampla por Vida Digna, Vacinação em Massa e Contra as Políticas de Fome e Morte” (leia aqui).

 

Com relação à demanda de levar ao ANDES-SN a sugestão de promover um ato em Brasília com a chamada geração de 1968 – já vacinada – durante a reunião de Setor, como encaminhado na última assembleia, a diretoria informou que não houve possibilidade de incluir essa discussão, porque a pauta estava fechada: pela manhã o debate foi entorno do PL 5595/20, e no período da tarde, questões específicas do Plano de Lutas.

 

Pela base, o professor Reginaldo Araújo informou que a campanha de solidariedade feita pela “Frente Popular pela Vida: em Defesa dos Serviços Públicos e de Solidariedade ao Enfrentamento à Covid-19” já está circulando um segundo vídeo, e finalizando a entrega da última remessa de mil e cem cestas recebidas pela Organização Não Governamental Ação Cidadania.

 

Análise de Conjuntura

 

Os presentes iniciaram a análise de conjuntura refletindo sobre o contexto internacional, de intolerância e conflitos no Oriente Médio. Contexto que tem reflexo no Brasil e em Mato Grosso, a partir de atos como os promovidos pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso e Câmara Municipal de Cuiabá, que aprovaram moções de aplauso aos policiais que promoveram a maior chacina em operação policial do país na Comunidade Jacarezinho, no dia 06/05.  

 

Nesse sentido, os docentes avaliaram que o movimento mais explícito de incentivo ao ódio e desrespeito aos direitos humanos é também o movimento que apoia o governo Bolsonaro, e que foi às ruas no domingo em sua defesa. A manifestação em Brasília, no entanto, não mobilizou a quantidade de pessoas que esperavam, concluíram os docentes.

 

Com relação à UFMT, o destaque da assembleia foi a movimentação ainda não oficializada acerca da possibilidade de não abertura do campus da universidade em Várzea Grande. Feito o debate, foi encaminhado que a Adufmat-Ssind deverá fazer essa discussão, especialmente com a comunidade universitária do campus UFMT Várzea Grande que, na realidade, funciona em espaço adaptado dentro do campus de Cuiabá.  

 

Eleições para a diretoria da Adufmat-Ssind 2021

 

O professor Djeison Benetti, suplente da Comissão Eleitoral, informou que a reunião da realizada no dia 12/05 encaminhou a contratação da empresa Voto Online (de São José dos Campos), pelos valores, segurança e facilidades para efetuar o voto. Foram analisados quatro orçamentos, e a empresa indicada foi a que apresentou os menores valores, cerca de R$ 4.300,00. O docente também anunciou que no dia 13/05, a Comissão elaborou o calendário eleitoral e o Regimento do processo, junto a Assessoria Jurídica do sindicato, para evitar eventuais equívocos.

 

O processo eleitoral para escolha da diretoria da Adufmat-Ssind, biênio 2021-2023, será iniciado nesta terça-feira, 18/05. As inscrições das chapas serão entre os dias 24 e 28/05, pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . O pleito será realizado em dois dias: 30/06 e 01/07, e a assembleia de posse da nova diretoria será no dia 09/07.

 

Após apreciação da minuta de Regimento e algumas alterações para melhor orientar as inscrições de chapas para a diretoria e representações locais de Sinop e Araguaia, os docentes aprovaram o documento que orientará o processo eleitoral. Veja aqui o Regimento Aprovado na Assembleia Geral desta segunda-feira, 17/05.

 

Veja também o Anexo I (Calendário), Anexo II (Ficha de Inscrição para a Diretoria) e o Anexo III (Ficha de Inscrição para Representação Local em Sinop e Araguaia).

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Sexta, 16 Abril 2021 14:27

 

 
 
A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária a se realizar:
 
Data: 20 de abril de 2021 (terça-feira)
Horário: às 13h30 com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h, em segunda chamada, com os presentes.



Pauta:
 
1- Informes;
2- Análise de Conjuntura;
3- Eleições da Adufmat.
 
A Assembleia será online, e o link poderá ser solicitado, mediante identificação, pelo whatsapp (65) 99661-7890 com o Sérvulo.
 

 
 
Cuiabá, 15 de abril de 2021.
 

Aldi Nestor de Souza
Diretor Geral da ADUFMAT-Ssind

Quarta, 21 Outubro 2020 12:37

Na imagem, as duas candidatas à Presidência do ANDES-SN: pela chapa 1, a professora Rivânia Moura (UERN); pela chapa 2, a professora Celi Taffarel (UFBA)  

Confira os novos materiais divulgados pelas chapas, por ordem numérica. 

 

Contrarreforma Administrativa e Ensino Remoto: implicações na nossa carreira

 

Este ano de 2020 tem sido intenso e difícil para a docência. De um lado, uma contrarreforma administrativa que pretende destruir o serviço público. De outro, fomos obrigados ao distanciamento social e, de forma emergencial, exercer a docência remotamente. Para além da emergência, não devemos perder a noção de que essas questões se articulam com um processo de fragmentação e aceleração do tempo e de precarização das condições de trabalho e a destruição do tripé ensino, pesquisa e extensão.

Nós da chapa 1 defendemos que o EaD não pode substituir o ensino presencial, embora reconheçamos a sua necessidade em determinadas situações e contextos, como neste momento de pandemia. Porém, nós somos contra sua regulamentação, porque é a oficialização da precarização e flexibilização do trabalho docente e, nesse momento, a luta é para que o ônus material e demais necessidades impostas pelo trabalho remoto sejam garantidas pelas instituições de ensino.

Nosso compromisso é com a valorização de nosso trabalho. Defendemos a carreira docente única, com ingresso por concurso público como garantia da transparência ao acesso, regime prioritário de dedicação exclusiva que permita ao/à docente não depender de trabalhos complementares, estabilidade no emprego que assegure que os/as servidores/as trabalhem pautados/as por projetos imunes à pressão e flutuações administrativas e aposentadoria integral que garanta um futuro menos inseguro.

A reforma administrativa quer destruir nossa carreira. Ela é continuidade da política de redução do tamanho e função do Estado Social, precedida pelas Contrarreformas da Previdência e Trabalhista, Lei de terceirização e, principalmente, a Emenda Constitucional 95. Derrotar a Contrarreforma Administrativa é nossa tarefa central.

Somos Chapa 1 UNIDADE PARA LUTAR

Em defesa da educação pública e das liberdades democráticas

 

Siga a CHAPA 1 nas redes sociais

FACEBOOK INSTAGRAM PÁGINA YOUTUBE

 

 

 

UMA NOVA DIREÇÃO PARA ENFRENTAR NOVOS DESAFIOS

 

Esta eleição para o ANDES-SN não é uma eleição qualquer. Ela irá eleger a diretoria que enfrentará os maiores ataques que a educação, a ciência, a tecnologia e a democracia têm sofrido. Por isso, não basta repetir o de sempre, é preciso RENOVAR nosso sindicato.

É preciso RENOVAR porque não podemos ficar satisfeitos em participar de um fórum que reúne apenas as entidades que a atual diretoria classifica como “classistas”, virando as costas para o Fórum Nacional Popular de Educação, que reúne 54 entidades deste setor, com a única exceção do ANDES-SN. Defendemos a unidade, na prática, em torno de quem luta pela educação!

É preciso RENOVAR porque não vamos conseguir derrotar a Reforma Administrativa, que ameaça nossa carreira e o futuro do serviço público de qualidade, sem tornar nosso sindicato um espaço aberto para cada colega que queira participar. Defendemos um sindicato voltado para o conjunto da categoria docente!

É preciso RENOVAR porque precisamos garantir a autonomia e a democracia nas universidades federais, estaduais e municipais, nos IFs e CEFETs e isso será possível apenas com uma direção que defenda a autonomia e a independência, mas que não se negue ao diálogo com as forças vivas da comunidade acadêmica. Defendemos que reitor eleito é reitor empossado e não tergiversaremos na defesa da posse dos reitores ou reitoras mais votados(as) nas consultas e processos eletivos!

Enfim, é preciso RENOVAR para termos um ANDES-SN que priorize a luta pela nossa carreira, pelos nossos salários e pelo financiamento público do ensino, da pesquisa e da extensão. A luta sindical deve dialogar com o nosso cotidiano de profissionais que dão aulas, pesquisam, publicam, orientam e fazem extensão. Sabemos da importância de nossa profissão para a sociedade brasileira. Somos docentes e queremos o ANDES-SN de volta para o conjunto da categoria!

renovaandes.org | facebook.com/RenovaAndes/ | instagram.com/renovaandes/

Quinta, 21 Março 2019 16:54

 

Os docentes da Universidade Federal de Mato Grosso, sindicalizados da Adufmat – Seção Sindical do ANDES-SN, elegeram, nessa quarta-feira, 20/03/19, os membros da 25ª diretoria da entidade, além dos representantes locais das subseções sindicais em Sinop e Araguaia.

 

A gestão “Luto pela Universidade Pública!”, única candidata inscrita, dirigirá o sindicato pelos próximos dois anos, numa conjuntura política bastante adversa. Por esse motivo, o grande desafio colocado pelo grupo desde o início será mobilizar a base para que a categoria construa ações, em conjunto com a diretoria, garantindo um sindicato cada vez mais atuante e forte para enfrentar esses ataques.

 

Para o coordenador geral eleito, Aldi Nestor de Souza, o resultado da eleição já indica o duro trabalho a ser realizado pelo grupo. “Esse resultado reforça a proposta que a nossa chapa estabeleceu como uma das prioridades do plano de lutas, que é de fazer um intenso trabalho de base e muita formação política. Foi um resultado paradoxal e bastante preocupante. Tivemos 317 votantes num universo de cerca de 1700 aptos a votar, num momento muito crítico para a classe trabalhadora e, em particular, para os professores; num momento em que o governo eleito ataca diretamente a educação e ataca fundamentalmente a universidade pública. É um resultado que nos deixa muito preocupados e redobra nossa tarefa de fazer do sindicato um espaço fundamental de luta para esse enfrentamento”, afirmou o docente.

 

De acordo com o professor, ainda não há uma análise dos membros da chapa sobre a eleição, mas algumas reflexões “clássicas” para os motivos da participação de cerca de 20% da categoria no pleito, que incluem a ausência de disputada numa eleição de chapa única, o esvaziamento histórico do sindicato e dos espaços políticos, em geral, e o desgaste do próprio processo eleitoral, também observado nas eleições presidenciais de 2018, em que mais de 30 milhões de pessoas não foram às urnas.

 

Para a diretora de Seguridade e Assuntos de Aposentadoria eleita, Maria Luzinete Vanzeler, a participação na eleição demonstra um paradoxo, pelo fato de o sindicato ter um número expressivo de docentes sindicalizados. “Essa participação não é nenhuma novidade. Isso vem se dando há muito tempo. Temos, de um lado, uma boa proporção de filiados, e parece paradoxal muitos associados e pouca participação. Mas as lutas estão aí e serão realizadas pelos representantes. Sabemos que vivemos um período crítico, de muitos ataques aos trabalhadores e, em especial, à categoria docente. Então, temos muitas tarefas pela frente e isso exige militância. Agora vamos ser otimistas no sentido de buscar mais militantes entre tantos associados. Sei que será uma tarefa difícil, mas não impossível”, afirmou Vanzeler.

 

Na avaliação da coordenadora adjunta eleita, Quélen Barcelos, a participação reflete o desânimo dos colegas frente a tantos ataques. “É como se um triste destino estivesse traçado e não houvesse o que fazer. Mas acho, também, que é uma fase. Muitas vezes é na crise que a criatividade vem à tona e retomamos a força. Vamos nos reunir, organizar, resgatar o entusiasmo e seguir em frente defendendo o nosso trabalho”, afirmou a docente da UFMT no campus de Sinop.

 

A gestão “Luto pela Universidade Pública!” será formada pelos docentes Aldi Nestor de Souza, do Departamento de Matemática (diretor geral), Quellen de Lima Barcelos, do Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais de Sinop (diretora geral adjunta), Elvis Lira da Silva, do Departamento de Física (diretor secretário), Maelison Neves, do Departamento de Psicologia/NEAD (segundo diretor secretário), Maria Luzinete Vanzeler, do Departamento de Medicina (diretora para assuntos de aposentadoria e seguridade social), Djeison Benetti, também da Matemática (diretor tesoureiro), Liliane Capilé Charbel Novais, do Departamento de Serviço Social (segunda diretora tesoureira), Lélica Elis Lacerda, também do Departamento de Serviço Social (diretora de comunicação) e Armando Wilson Tafner Junior, do Departamento de Economia (diretor de assuntos socioculturais).

 

Nas subseções de Sinop e Araguaia foram eleitos, respectivamente, os docentes Arlindo de Paula Machado Neto, Fábio Renato Borges, Gerdine Ferreira de Oliveira Sanson e Gustavo Rodrigues Canale, da chapa “Coletivo Sinopense”, e os professores Graziele Borges de O. Pena, Frederico Jorge Saad Guirra e Eliel Ferreira da Silva, da chapa “Nenhum direito a menos – Educação em primeiro lugar”.

 

A cerimônia de posse será no dia 09/04/19, em horário ainda não definido.      

 

Confira, abaixo, os número da eleição para diretoria da Adufmat-Ssind 2019:

 

Total de votantes:

317

Chapa 1:

292

Brancos:

8

Nulos:

10

Cédula inválida:

7


Campus Sinop

Total de votantes: 67

Chapa 1:        64

Branco:          02

Nulo:              01

Cédula inválida: 00

 

Campus Araguaia (Pontal do Araguaia e Barra do Garças)

Total de votantes: 46

Chapa 1:        43

Branco:          01

Nulo:              02

Cédula inválida: 00

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

 

Sábado, 23 Fevereiro 2019 14:09

 

Conforme edital de convocação, docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) se reuniram em assembleia geral na sede da Adufmat-Seção Sindical do ANDES-SN nessa quinta-feira, 21/02, para discutir sobre a construção do Largo da Adufmat-Ssind, a publicação do livro de 40 anos do sindicato, análise de conjuntura, além dos informes.

 

No início da assembleia, a plenária aprovou a inclusão de outros dois pontos: eleições para diretoria da Adufmat-Ssind 2019 nas subseções, e lista publicada de docentes sindicalizados aptos a votar no dia 20/03.

 

Durante o debate do primeiro ponto de pauta, sobre o Largo da Adufmat-Ssind, o professor José Afonso Portocarrero explicou toda a execução do último projeto aprovado pela categoria em outubro do ano passado. “Nós fizemos toda a parte externa do sindicato, tornamos um ambiente mais harmonioso e seguro para os sindicalizados”, disse o arquiteto, responsável pela obra desde a sua concepção, no início da década de 1990.

 

No entanto, a rampa de acesso ao auditório teve de ser refeita, porque estava em desnível e, na avaliação dos responsáveis, poderia causar acidentes. Como não estava previsto o rebaixamento da rampa, a etapa acabou gerando um aditivo à obra no valor de R$ 3.500,00. Após discussão sobre o tema, a plenária aprovou o pagamento do aditivo e também a realização de um trabalho de paisagismo na área verde, que custará R$ 1.500,00.

 

O tema debatido em seguida foi conjuntura. Nesse ponto, os docentes problematizaram situações como a da Vale, que pela segunda vez, em apenas três anos, causou prejuízos humanos e ambientais sem precedentes e, no entanto, viu suas ações valorizadas, sente-se confortável para ditar as regras de negociação com as famílias diretamente atingidas, e recebeu todo o apoio do Governo Federal. “O presidente sobrevoou a região ao lado do representante da Vale, se reuniu com ele, e depois foi embora, sem dizer uma só palavra às famílias que esperavam por notícias. Isso indica de que lado o governo brasileiro está”, observou o professor Aldi Nestor.

 

Além disso, os docentes discutiram a autonomia das universidades, diante das movimentações recentes na Universidade Federal Fluminense (UFF), que pretendia iniciar uma parceria com militares dentro da Reitoria – o que a comunidade acadêmica conseguiu barrar -, e de interferência de militares no processo de matrícula na Universidade de São Paulo (USP).

 

Os escândalos e inconstâncias do governo Bolsonaro também foram citados, seguindo a avaliação de que, provavelmente, o atual presidente não conseguirá concluir seu mandato. Além da inexperiência e inabilidade política comprovadas, a equipe se mostrou frágil e desconfiada já nos primeiros meses de gestão. “Bolsonaro despachou enquanto estava internado, praticamente da UTI. Ou seja, ele não confia em ninguém da sua equipe”, avaliou o professor José Ricardo.

 

Além da paralisação no dia 08 de Março, e participação dos atos e mobilizações do Dia Internacional de Luta das Mulheres Trabalhadoras, conforme já aprovado em assembleia anterior, a categoria também encaminhou a assinatura de um manifesto contra o fechamento do campus Abelardo Luz, do Instituto Federal Catarinense. A tentativa de fechar a escola é considerada mais um ato de ataque aos trabalhadores rurais sem terra, que vivem na região e realizam trabalhos em conjunto com a instituição.

 

Sobre a publicação do livro 40 anos da Adufmat-Ssind, os docentes aprovaram a realização de todo o trabalho gráfico e impressão de 500 exemplares pela editora Entrelinhas, a partir do orçamento apresentado, no valor de R$ 59.780,00 – o menor, dentre os apresentados.

 

O material, elaborado pela diretora do sindicato e historiadora, Maria Adenir Peraro, reúne cerca de 300 páginas, com documentos, fotos e informações extraídas de jornais e entrevistas. “Esse material é fruto de dois anos de trabalho. Nós dividimos em três capítulos, abarcando as conquistas, conflitos e avanços da categoria durante esses 40 anos. Entrevistamos os ex-presidentes e militantes históricos, e conseguimos fotos inéditas. É um marco, um memorial. Nós esperamos que outras pessoas possam utilizá-lo para prosseguir nas pesquisas”, afirmou a professora.

 

Com relação ao processo eleitoral da Adufmat-Ssind, o presidente, Reginaldo Araújo, informou que não houve inscrição de chapas para representação nas subseções de Sinop e Araguaia. Diante disso, os presentes decidiram reabrir o período de inscrição nas subseções, com autonomia para realizar um processo eleitoral independente. No entanto, entenderam que os processos devem acompanhar os prazos da eleição para a diretoria do sindicato.

 

Ainda sobre as eleições, o presidente informou que somente um sindicalizado procurou a Adufmat-Ssind dentro do prazo para reclamar que seu nome não constava na lista. Após averiguação dos motivos, a situação foi resolvida. Assim, a plenária aprovou a inclusão do nome do professor à lista de sindicalizados aptos a votar.

 

Informes

 

Durante os informes, a diretoria disse aos presentes que somente uma chapa se inscreveu para o processo eleitoral 2019, e a candidatura fora deferida após análise dos documentos pela Comissão Eleitoral. O candidato a diretor geral da próxima gestão, Aldi Nestor de Souza, foi à frente apresentar os colegas que compõem a chapa Luto Pela Universidade Pública (veja aqui).

 

A diretoria da Adufmat-Ssind informou, ainda, que apesar dos rumores, não há informações oficiais sobre o processo dos 28,86%, e reforçou que a assessoria jurídica responsável pelo caso está atenta.

 

O professor Maurício Couto fez informe sobre a rearticulação política dos docentes da UFMT e Unemat em Sinop, com a intenção de realizar uma atividade conjunta para debater os efeitos da Contrarreforma Trabalhista nos próximos dias.

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

 

 

 

       

Terça, 07 Março 2017 09:47

 

 

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DA ADUFMAT- Ssind

 

 

A Diretoria no uso de suas atribuições regimentais convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária a se realizar:

 

Data:  09 de março de 2017 (quinta-feira)

 

Local: AUDITÓRIO DA ADUFMAT

 

Horário: às 08:00 horas com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 08:30 horas, em segunda chamada, com os presentes.

 

PAUTA:

 

1) Informes; 

2) Regulamento Eleitoral;
3) Construção e Mobilização para o dia 15 de Março;
4) Reforma do prédio da ADUFMAT;

5) 28,86%: informes e encaminhamentos.

 

 

Cuiabá, 07 de março de 2017.

 

Reginaldo Silva de Araujo

Presidente / ADUFMAT SSind