Sexta, 18 Agosto 2017 17:40

 

Nessa sexta-feira, 18/08, docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), reunidos na Assembleia Geral da Adufmat – Seção Sindical do Andes, realizaram o debate sobre a prestação de contas da gestão “Adufmat Plural, Autônoma, Democrática e de Luta!”, diretoria que esteve à frente do sindicato entre março de 2015 e abril de 2017.

 

Os membros do Conselho Fiscal responsável pela análise das contas daquele período, professores Sirlei Silveira, Alexandre Machado e Celia Alves, expuseram o relatório por cerca de uma hora, apontando as principais considerações de um total de 505 pontos destacados. “Sentimos falta de alguns documentos, e registramos, por entender que eles podem evitar estranhamento ou até constrangimento da diretoria com relação a análise dos dados”, apontou a professora Sirlei Silveira. De acordo com a docente, a intenção do Conselho foi elaborar um relatório construtivo, com orientações, sem intenção de indicar aprovação ou reprovação.

 

Em seguida, o presidente da Adufmat-Ssind na referida gestão, Reginaldo Araújo, utilizou de igual espaço de tempo para apresentar suas considerações sobre os destaques do Conselho. O docente questionou a declaração de ausência de documentos, e os disponibilizou na assembleia. “Acredito que deve ter havido alguma confusão do Conselho nesse sentido, porque nenhuma diretoria deixaria de fornecer documentos, se expondo e correndo o risco de ter de responder, mais tarde, por todos esses itens apontados. E boa parte dos documentos listados está aqui”, afirmou Araújo.

 

Outros pontos levantados pelo Conselho, como garantia do desconto de ISSQN – realizado pela Prefeitura, e o pagamento de contas que não fornecem nota fiscal, como as de telefones, foram justificados.  

 

A professora Juliana Ghisolf, membro do Conselho Fiscal responsável pelas contas da gestão atual (2017-2019), lembrou que alguns dos destaques feitos no relatório remeteram à sua participação em Conselhos Fiscais anteriores. “Na diretoria do Sanches nós já alertávamos sobre a necessidade de algumas adequações apontadas pelo Conselho”, disse a docente.

 

O professor Maelison Neves afirmou que a avaliação, além de técnica, deveria ser política. “Nós podemos observar que a gestão 2015-2017 foi bastante ativa, enfrentou uma greve difícil, realizou vários atos locais e em Brasília, além de eventos e debates sobre temas como as Reformas Trabalhista e da Previdência”, destacou.  

 

Após algumas intervenções acaloradas, atribuídas ainda ao período eleitoral de 2017 para a diretoria do sindicato, o professor Ricardo Campomanes, do campus da UFMT em Sinop, ressaltou que os presentes deveriam concentrar o debate no enfrentamento às políticas de precarização e sucateamento impostas pelo Governo e seus aliados. “A diretoria está de parabéns, pois realizou um ótimo trabalho, e se cometeu erros, certamente não foram propositais. Do mesmo jeito, o Conselho Fiscal também dedicou tempo e empenho na realização desse relatório. Agora nós temos de nos concentrar contra o verdadeiro inimigo, que está em Brasília”, pontou.

 

O debate seguiu, ainda, até o final da manhã, sem encontrar definição quanto a alguns cálculos divergentes. Diante disso, a plenária encaminhou e aprovou as seguintes ações: consultar a assessoria jurídica do sindicato com relação a atuação de um dos bancos responsáveis pelos recursos do sindicato; recomendar à atual diretoria a publicização do balancete trimestral das contas, conforme Regimento da entidade, e independente de manifestação do Conselho Fiscal; recomendar para a diretoria atual a adoção do modelo de Plano de Contas do Andes-Sindicato Nacional; acionar o escritório de Contabilidade para esclarecer eventuais dúvidas nas assembleias em que esses temas serão debatidos; fornecer a documentação necessária aos próximos Conselhos Fiscais mediante protocolo de entrega; formar uma comissão e agendar uma reunião com o escritório de Contabilidade que atende a Adufmat-Ssind (além do presidente e dos conselheiros fiscais daquela gestão, os docentes Juliana Gisolfi  e Vicente Ávila devem acompanhar a audiência); realizar nova assembleia para avaliar o resultado da reunião com o escritório.

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind          

Sexta, 11 Agosto 2017 18:18

 

Reunidos em Assembleia Geral na manhã dessa sexta-feira11/08, na sede da Adufmat - Seção Sindical do ANDES, docentes da Universidade Federal de Mato Grosso, discutiram e deliberaram a partir dos temas apresentados em edital de convocação: informes, análise de conjuntura, formação da Comissão de Ética da Adufmat-Ssind, contratação de menor aprendiz, e contribuição de solidariedade às Instituições de Ensino Superior do Estado do Rio de Janeiro. Por solicitação da plenária, também foi incluído um ponto de pauta para decidir a participação de docentes na Jornada de Lutas dos Aposentados, que será realizada nos próximos dias.

 

Durante os informes, os professores Carlos Roberto Sanches, Alice Saboia e Tomás Boaventura fizeram informes sobre a reunião com a Reitoria na última segunda-feira, 07/08, sobre os 28,86% para os docentes aposentados que ainda tiveram o direito garantido, devido às interferências do TCU e da Procuradoria Federal junto a instituição (saiba mais aqui).

 

O presidente da Adufmat-Ssind, Reginaldo Araújo, salientou que o Sindicato tem denunciado publicamente essa questão, e garantiu que a categoria voltará a debater o tema em assembleia geral assim que a Reitoria publicizar o documento explicativo que informou, durante a reunião, estar elaborando. Além disso, o docente divulgou eventos que serão realizados nos próximos dias, inclusive com a contribuição de docentes da base do Sindicato, como o Fórum de Debates sobre Políticas Públicas para Mulheres Vítimas de Violência na Mesorregião Norte Mato-grossense, no dia 14/08, em Sinop, o Seminário Nacional Integrado do Grupo de Trabalho de Política de Classe para questões Étnico-raciais, de Gênero e Diversidade (GTPCEGDS) do ANDES-SN, entre os dias 24 e 26/08, o Curso Nacional de Formação Política e Sindical do ANDES, dias 18 e 19/08, e a Jornada de Mobilização de Aposentados e Aposentadas, entre os dias 16 e 18/08.

 

A análise de conjuntura demandou a maior parte do tempo da assembleia, com destaque para as deliberações do 62º Conad, além da aprovação da Contrarreforma Trabalhista, as ações do Partido dos Trabalhadores que auxiliaram no desmonte dos direitos sociais durante seus governos - sempre assegurando as demandas do Capital, as Contrarreformas da Previdência, Tributária e Política que tramitam no Congresso Nacional, e o Plano de Desligamento Voluntário (PVD) para servidores federais. Os docentes avaliam que a situação é extremamente séria. Para as universidades, os recursos estão cada vez mais escassos, comprometendo não só a expansão que está em curso nas instituições, mas seu próprio funcionamento.

 

“A questão é, diante de um Governo sem nenhuma legitimidade, com 95% de rejeição, como apontam as pesquisas, um Legislativo que acompanha esse índice de desconfiança, e um Judiciário reconhecido pela população como partidário – porque político sempre foi -, por que os movimentos sociais não conseguem mobilização suficiente para combater os ataques?”, problematizou a diretora do Sindicato, Alair Silveira, seguida de outros docentes.

 

Os casos de corrupção que permeiam os noticiários nacionais também foram citados. Boa parte das intervenções foram a partir da compreensão de que eles são inerentes à estrutura política de desmonte do setor público, provocado pelos governos brasileiros ao longo dos anos. “Não há do que se orgulhar, nem sentir saudosismo de nenhum governo na história do Brasil. Nenhum!”, enfatizou o professor Roberto Boaventura.  

 

Depois das inúmeras falas demarcando a insatisfação e apreensão com relação ao cenário político e econômico, os docentes encaminharam a elaboração de um material gráfico para divulgar os ataques sofridos pelos trabalhadores em geral, com destaque para os professores das universidades brasileiras, e a realização de três debates com os temas “A ditadura civil-empresarial-militar”, “A ciência e tecnologia que queremos”, e “Conjuntura política: o que fazer?”

 

Com relação à formação da Comissão de Ética para apurar as denúncias de assédio dos trabalhadores da Adufmat-Ssind, os docentes observaram o quão significante é esse ato político, considerando que o próprio ANDES-SN já tem encaminhamentos nesse sentido. No entanto, algumas ponderações abordaram os perigos relativos a um eventual caráter punitivo dessa estrutura.  

 

“A Adufmat-Ssind não vai colocar nenhum tipo de denúncia de baixo do tapete. Seja contra quem for. A própria formação da Comissão vai garantir que essas denúncias sejam apuradas e esclarecidas, se não forem verdadeiras”, afirmou o presidente do Sindicato.

 

Esgotado o debate, a assembleia aprovou os nomes dos professores Qelli Rocha, Luã Kramer e Aristides da Silva para compor a Comissão de Ética. Ela terá a função de ouvir os envolvidos em qualquer denúncia no ambiente sindical, e encaminhar pareceres para apreciação e deliberação de assembleias gerais, conforme prevê o Regimento da Adufmat-Ssind.

 

A discussão sobre a contratação de menor aprendiz exigiu menos tempo de debate, por se tratar de uma determinação judicial. As assessorias da Adufmat-Ssind e do ANDES orientaram pelo cumprimento da legislação para evitar a multa prevista. Ficou decidido que o Sindicato fará a contratação mediante a elaboração de um documento de repúdio à esta imposição legal, que contraria a luta da entidade. Também deverá ser registrada a exigência de que os horários estipulados pelas instituições que intermedeiam esse processo não atrapalhem os estudos do menor.   

 

A assembleia aprovou, ainda, a contribuição de solidariedade às Instituições de Ensino Superior do Estado do Rio de Janeiro no valor de R$ 10 mil, devido a extremidade da situação dos docentes que estão há três meses sem receber, e a participação dos professores Maria Clara Weiss e Tomás Boaventura na Jornada de Lutas dos Aposentados.

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

 

Quinta, 03 Agosto 2017 17:34

 

A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária a se realizar:

Data:  11 de agosto de 2017 (sexta-feira)
 
Local: AUDITÓRIO DA ADUFMAT-Ssind
 
Horário: às 07h30, com a presença mínima de 10% dos sindicalizados, e às 08h, em segunda chamada, com os presentes.
 

PAUTA:

1) Informes;
2) Análise de conjuntura;
3) Formação da Comissão de Ética da Adufmat-Ssind;
4) Contratação do menor aprendiz;
5) Contribuição de solidariedade com as Instituições de Ensino Superior do Estado do Rio de Janeiro.


 

 
Cuiabá, 03 de agosto de 2017
 

 
Reginaldo Silva de Araujo
Presidente / ADUFMAT SSind

Segunda, 24 Julho 2017 17:31

 

Em assembleia geral realizada nessa segunda-feira, 24/07, na sede da Adufmat – Seção Sindical do ANDES, os docentes da UFMT debateram e deliberaram sobre o Projeto Adufmat 40 anos: história e memória, a reforma do prédio do sindicato em Sinop, a regulamentação dos eventos festivos nos campi da UFMT, além dos informes de interesse da categoria.

 

Em 2018, a Adufmat-Seção Sindical do ANDES completará 40 anos. Por esse motivo, o GT de Aposentadoria, coordenado pela professora Maria Adenir Peraro, apresentou o Projeto Adufmat-Ssind 40 anos: história e memória.  Nessa segunda-feira, Peraro, que é historiadora e diretora de Assuntos de Aposentadoria da Adufmat-Ssind, falou sobre o projeto e relatou como está sendo o trabalho de organização dos arquivos do sindicato, que está em andamento desde maio desse ano. “Há uma documentação farta e muito rica, que ainda não foi explorada. Estou me colocando como voluntária para utilizá-la na organização da homenagem aos 40 anos da entidade”.

 

Para viabilizar a continuidade do projeto, a docente sugeriu a contratação de uma pessoa para auxiliá-la nesse processo, proposta aprovada pela plenária. O sindicato planeja, ainda, dentro da programação de comemoração, fazer um vídeo documentário sobre a história da Adufmat. Os orçamentos para produção desse material serão apresentados em assembleias futuras.

 

O debate sobre a regulamentação dos eventos festivos nos campi da UFMT foi provocado por uma minuta encaminhada pela Administração da universidade, com o objetivo de readequar os eventos realizados na instituição. Os docentes avaliam que as manifestações artísticas e culturais também são espaços de interações políticas, além de garantir a autonomia financeira para as lutas, em especial, do movimento estudantil.

 

A compreensão, na esfera política do tema, é de que a universidade é um espaço público, e esses eventos devem ser garantidos. “As festas chamadas ‘clandestinas’ só ocorrem porque criaram as condições para isso. É um movimento de resistência, a partir da proibição, pela Administração anterior da instituição, e também pelos empecilhos impostos aos estudantes, que perderam as cantinas e espaços de cópias como fonte para organizar as lutas”, disse o presidente da Adufmat-Ssind, Reginaldo Araújo.

  

Nesse sentido, os docentes encaminharam contribuições à minuta, que serão levadas aos conselhos deliberativos da instituição.   

 

A professora Clarianna Silva, representante sindical em Sinop, apresentou algumas dificuldades estruturais da sede da Adufmat-Ssind no campus do interior, e apresentou três orçamentos para as reformas necessárias. “Nós estamos com problemas no telhado. Sinop é uma cidade que faz parte da região amazônica, então, a chuva é muito forte, chega a alagar alguns pontos da cidade. A calha não é suficiente para absorver o volume de água, o madeiramento está exposto e as telhas estão quebradas”, explicou a docente.

 

Os problemas estruturais estão causando infiltrações nas paredes devido as condições do telhado, e também do alicerce do prédio, por causa dos canteiros construídos ao redor. O valor estimado para a reforma do telhado, a partir dos levantamentos realizados, ficou em R$ 20 mil, aprovado pela plenária. O total será dividido entre os caixas da Adufmat-Ssind de Cuiabá e de Sinop. As infiltrações da base do prédio não serão tocadas no momento.       

 

Durante os informes dessa segunda-feira, a professora Maria Adenir Peraro falou sobre o 3º Encontro dos Aposentados da Adufmat-Ssind, realizado nos dias 07, 08 e 09/07, envolvendo debates, reflexões, e socialização dos docentes.

 

O presidente da Adufmat-Ssind fez informes sobre o 62º Conad, realizado em Niterói entre os dias 13 e 16/07, e registrou que o Conselho Fiscal entregou o relatório das contas da gestão anterior no dia 06/07.

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

 

Quinta, 20 Julho 2017 16:27

 

 

A Diretoria no uso de suas atribuições regimentais convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária a se realizar:

 
Data:  24 de julho de 2017 (segunda-feira)
 
Local: AUDITÓRIO DA ADUFMAT
 
Horário: às 14h com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h30, em segunda chamada, com os presentes.
 

PAUTA:

1) Informes;
2) Projeto Adufmat 40 anos: história e memória;
3) Reforma do prédio Adufmat/Sinop;
4) Regulamentação dos eventos festivos nos campi da UFMT.


 

 
Cuiabá, 20 de julho de 2017
 

 
Reginaldo Silva de Araujo
Presidente / ADUFMAT SSind

Segunda, 10 Abril 2017 08:47

 

A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Extraordinária a se realizar:

 
Data:  12 de Abril de 2017 (quarta-feira)
 
Local: AUDITÓRIO DA ADUFMAT
 
Horário: às 08:30  horas com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 09:00 horas, em segunda chamada, com os presentes.
 

PAUTA:

1) Informes;
2) Construção da Greve Geral para o dia 28 de abril.

 

 
Cuiabá, 10 de abril de 2017
 

 
Reginaldo Silva de Araujo
Presidente / ADUFMAT SSind

 

Terça, 07 Fevereiro 2017 18:51

 

 

Os professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) definiram, em assembleia geral realizada nessa terça-feira, 07/02, a comissão que vai realizar as eleições para diretoria do sindicato da categoria, a Adufmat-Seção Sindical do ANDES, biênio 2017-2019. A orientação da plenária é de que o calendário eleitoral seja apresentado pela comissão em nova assembleia geral na próxima segunda-feira, 13/02, e o pleito seja realizado até o dia 07/04.

 

Foram eleitas para a comissão eleitoral, por unanimidade, as docentes Maria Luzinete Vanzeler, Vanessa Furtado, e Qelli Rocha, além da professora Ivna Nunes, como suplente.

 

O presidente da Adufmat - Seção Sindical do ANDES, Reginaldo Araújo, explicou que, de acordo com o Estatuto da entidade, a diretoria deve convocar o processo eleitoral entre 30 e 60 dias do final do seu mandato. “A atual gestão termina no dia 26/03, nós estamos, portanto, a mais de 45 dias desse prazo. A nossa preocupação foi iniciar o processo eleitoral logo na retomada do semestre letivo. Não faria sentido convocar uma assembleia no mês de janeiro, durante o recesso da categoria”, afirmou o docente.

 

Durante as discussões, a plenária alertou que o processo deve contemplar a participação dos sindicalizados em todos os campi - Cuiabá, Sinop, Araguaia e Várzea Grande – tendo em vista que o calendário acadêmico pode ser diferenciado. Além disso, os presentes destacaram a necessidade de garantir um período suficiente para o desenvolvimento de campanhas e debates qualificados.

 

Retomada dos GT’s

 

Conforme a pauta publicada no edital de convocação da assembleia, os docentes debateram outros temas nessa terça-feira, entre eles, a retomada de Grupos de Trabalho (GT’s). Os GT’s são responsáveis por acumular e desenvolver conhecimento em determinadas áreas para auxiliar e orientar as políticas do sindicato.

 

“Os GT’s representam a base participando da gestão da luta. Eles fazem parte da estrutura democrática do ANDES, de diálogo amplo com a base”, explicou o professor Maelison Neves.

 

O ANDES – Sindicato Nacional tem, atualmente, 11 Grupos de Trabalho que abordam os temas: GTCA - Comunicação e Artes; GTC – Carreira; GTCT - Ciência e Tecnologia; GTFundações – Fundações; GTHMD - História do Movimento Docente; GTPAUA - Trabalho Política Agrária, Urbana e Ambiental; GTPCEGDS - Política de Classe para as questões Etnicorraciais, de Gênero e de Diversidade Sexual; GTPE - Política Educacional; GTPFS - Política de Formação Sindical; GTSSA - Seguridade Social / Assuntos de Aposentadoria; GTVerbas – Verbas.

 

Esses grupos devem funcionar em sintonia com as seções sindicais de todo o país. Na Adufmat-Ssind, estão ativos os GT’s de Ciência e Tecnologia; Política Agrária, Urbana e Ambiental; Política de Formação Sindical; e Seguridade Social/Assuntos de Aposentadoria.   

 

Na assembleia dessa terça-feira, as professoras Qelli Rocha, Ivna Nunes e Vanessa Furtado apresentaram a intenção de retomar os trabalhos do GTPCEGDS (Etnicorraciais, Gênero e Diversidade Sexual), juntamente com as docentes Clarianna Silva, Lorenna Rezende e Onice Dall´Oglio, de Sinop, e o professor Deyvisson Costa, do Araguaia. A retomada do GT com essa configuração foi aprovada por unanimidade.

 

Todos os sindicalizados interessados podem participar, basta entrar em contato com o sindicato para saber sobre as reuniões e, em seguida, participar dos grupos de maneira orgânica.        

 

Avaliação do 36º Congresso do ANDES

 

Os elogios ao 36º Congresso do ANDES – Sindicato Nacional renderam boas horas da assembleia dessa terça-feira. Isso porque o evento deve entrar para a história como um dos melhores realizados pelo ANDES, além de ter sido um dos mais representativos. Dezenas de Seções Sindicais declararam grande satisfação publicamente, destacando o cuidado, a atenção e a agilidade na resolução de eventuais intercorrências.

 

“Nós nos preocupamos em proporcionar um espaço acolhedor, garantindo todas as condições necessárias para que os participantes encontrassem o ambiente propício para os debates”, disse o presidente da Adufmat-Ssind, Reginaldo Araújo.

 

O professor da UFMT, Luã de Oliveira, que participou pela primeira vez do Congresso, disse que um dos aspectos positivos foi a seleção de monitores com experiência no movimento estudantil, e que os debates com Guilherme Boulos, Maria Lúcia Fatorelli e Sara Granemann foram excelentes. “O ANDES assume o compromisso fundamental de se colocar do lado dos trabalhadores”, avaliou o docente.

 

A professora Qelli Rocha destacou a recepção aos participantes. “Participei pela primeira vez do Congresso do ANDES, e o acolhimento aos docentes que estão se aproximando do sindicato foi muito bom. Proporcionar as condições para o debate de gênero também foi um aspecto importante”, afirmou.

 

Para a docente Alair Silveira, que ressaltou também os aspectos políticos do evento, as disputas internas provocaram pequenas tensões, diferentemente do que observou em outros momentos. “Nós estamos num momento muito difícil. Tivemos um número significativo de participantes, e a compreensão, de modo geral, é de que esse é um momento delicado, em que nós estamos sem perspectivas nos Poderes Executivo, Legislativo e, em especial, no Judiciário”, disse a professora, que participou do congresso como delegada.

 

É possível encontrar mais informações sobre o 36º Congresso do ANDES na página da Adufmat-Ssind, em Notícias e Avisos.      

 

Informes

 

O presidente da Adufmat-Ssind, Reginaldo Araújo, informou a todos, no início da assembleia, que o sindicato participou, no dia 01/02, de uma audiência na Advocacia Geral da União sobre o pagamento dos 28,86% aos docentes aposentados que não têm recurso de suspensão do pagamento negado pelo Tribunal de Contas da União (clique aqui para saber mais). De acordo com o docente, o escritório de advocacia deve protocolar nova petição ao processo, e uma reunião para tratar especificamente do tema deve ser realizada na próxima semana.

 

Araújo informou ainda que a assessoria jurídica do sindicato atenderia docentes do campus do Araguaia às 14h para sanar algumas dúvidas sobre o pagamento do adicional de insalubridade. A orientação é de que os casos sejam tratados de maneira individual, por conta das particularidades de cada setor e do tipo de trabalho desenvolvido por cada docente.

 

Por fim, o docente falou sobre a agenda de mobilização do ANDES – Sindicato Nacional para os próximos dias, destacando: 09/02 – ato em defesa das universidades estaduais no Rio de Janeiro; 15/03 – Dia Nacional de Luta em Defesa da Educação; 17 e 18/03 – Reunião nacional do GTPCEGDS.

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

 

 

      

  

Terça, 13 Dezembro 2016 19:07

 

 

Em assembleia geral realizada nessa terça-feira, 13/12, os docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) elegeram os dez delegados que representarão a Adufmat – Seção Sindical no 36º Congresso do ANDES entre os dias 23 e 28/01/17, em Cuiabá. Os docentes mato-grossenses elegeram também os suplentes e observadores para o congresso, mas a expectativa, diante da conjuntura política, é de que grande número de docentes locais participem das plenárias, que serão abertas a todos os interessados.

 

O Congresso do ANDES é a instância máxima deliberativa do Sindicato Nacional. Os organizadores esperam que cerca de 500 participantes se inscrevam nessa edição, que tem o tema “Em defesa da educação pública e contra a agenda regressiva de retirada dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras". 

 

Foram eleitos delegados os professores Reginaldo Araújo, pela diretoria, além de Marluce Silva, Alair Silveira, Paulo Wescley, José Domingues, José Airton de Paula, Lélica Lacerda, e Maelison Neves, pela base.

 

Considerando a representatividade, a plenária legitimou, também, a indicação dos delegados Maurício Guedes e Lorena Rezende, dos campi do Araguaia e de Sinop, respectivamente.

 

Como suplentes, foram eleitos os docentes Vanessa Rodrigues, Iva Gonçalves, e Carlos Sanches, além de Rafaella A. Felipe e Clarianna M. B. Silva, de Sinop; e Deyvisson da Costa e Márcia Pascotto, de Barra do Garças.

 

Como observadores, os professores Ivna de Oliveira Nunes, Qelli Rocha, Luã de Oliveira, Maria Clara Weiss, Mariuce Moraes e Roberto Boaventura, de Cuiabá; Oncie Dall’Oglio, Maurício Couto e Ricardo Santana, de Sinop; Lennie Aryete Bertoque, Adenil Claro, Eliel da Silva, Rosaline Lunardi e Daniel Guimarães, do Araguaia.

 

Novos contratos da Adufmat-Ssind

 

A plenária aprovou, na assembleia dessa terça-feira, o contrato entre a Adufmat - Seção Sindical e a empresa Artesanatos Regionais Bela Vista, fornecedor de peças artesanais para o 36º Congresso do ANDES.

 

O Sindicato apresentou também uma proposta de parceria com a Agemed Planos de Saúde, sugerida por alguns sindicalizados. Após discussão, ficou decidido que o GT de Seguridade Social e Assuntos da Previdência da Adufmat – Ssind estudará melhor a proposta da empresa para apresentá-la novamente, com mais detalhes, em uma próxima assembleia.

 

Alteração do Regimento da Adufmat – Seção Sindical do ANDES

 

O professor Maelison Neves informou a todos sobre os trabalhos da comissão responsável pela sistematização do Regimento do Sindicato, de acordo com as demandas da categoria, para futura discussão e aprovação. “O processo teve início a partir da greve de 2015, com a justa reivindicação dos colegas de Sinop e do Araguaia de participação nos processos decisórios do Sindicato”, lembrou o docente.          

 

De acordo com Neves, houve dificuldade entre os membros da comissão para organização de encontros ao longo do ano, por isso, ainda há algumas questões que precisam ser adequadas antes da apreciação coletiva da proposta.   

 

No entanto, já há uma sugestão de redação sobre como se daria a participação dos docentes dos campi do interior: por meio de videoconferência, com a possibilidade de validação das assembleias, contabilizando os votos, em casos de falhas técnicas.  

  

O docente defendeu a convocação de uma assembleia geral específica para debater a questão.

 

Ficou decidido que a comissão apresentará o material fruto do acúmulo das discussões realizadas até o momento até fevereiro do próximo ano para publicação. A partir daí, o sindicato convocará assembleias gerais para debater o tema.  

 

Organização Sindical dos professores do campus de Várzea Grande

 

O professor da UFMT Várzea Grande, Caiubi Kuhn, apresentou uma demanda: a criação de representação sindical específica dos docentes daquele campus, à exemplo dos campi de Sinop e Araguaia. Para ele, há especificidades do campus que exigem autonomia sindical em determinadas questões.

 

Após discussão e votação, o ponto de pauta foi suspenso, novamente, pela ausência de defensores da proposta. A maioria dos docentes na plenária entendeu que o debate ficou prejudicado após a retirada do representante da UFMT/Várzea Grande da assembleia.    

 

Pagamento de assessoria jurídica sobre os 28,86% para os aposentados

 

O professor José Airton de Paula, membro do GT de Seguridade Social e Assuntos da Previdência, informou que um grupo de professores do GT procurou assessoria jurídica extra em busca de um parecer sobre os 28,86% para os aposentados.

 

O serviço particular foi procurado com conhecimento do GT Aposentados, mas sem autorização prévia do Sindicato. A consultoria não foi concluída, no entanto, o primeiro contato gerou um custo de R$ 1.200,00, que acabou sendo efetuado por de Paula. Entendendo que se tratar de assunto de interesse de parte da categoria, o professor solicitou reembolso ao Sindicato.

 

A diretora da Adufmat-Ssind, Maria Clara Weiss, afirmou que a demanda dos aposentados por avaliações jurídicas ampliadas sobre o assunto é legítima, pois a conquista do direito a todos os docentes despertou nos aposentados um sentimento de injustiça, já que muitos contribuem com o Sindicato há mais de trinta anos, mas foram excluídos pelo Tribunal de Contas da União.     

 

O mérito da demanda foi compreendido, mas o método utilizado, duramente criticado. Após ampla discussão, ficou decidido que o Sindicato fará o reembolso.     

 

Informes da Diretoria

 

O presidente da Adufmat-Ssind, Reginaldo Araújo, iniciou a assembleia lamentnado o ocorrido com a reitora Myrian Serra, que sofreu um aneurisma cerebral no último sábado, durante evento realizado na universidade. Ele informou sobre sua participação na cerimônia ecumênica pela recuperação da professora, realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores Técnicos Administrativos na manhã dessa terça-feira.

 

Araújo passou, também, informações detalhadas sobre o julgamento dos 28,86%, realizado em Brasília no dia 07/12, que manteve a vigência do acórdão determinando o pagamento a todos os docentes da universidade (clique aqui para saber mais).

 

Sobre a aprovação da PEC 55, o presidente lembrou os debates promovidos nos últimos dias, com o ex-reitor da Universidade Federal de Goiás, ......, com a presidente do ANDES, Eblin Farage, e com o tesoureiro do ANDES, Amauri Fragoso, com os docentes de Sinop e do Araguaia, e ressaltou que a mobilização e organização da categoria é cada vez mais necessária diante do cenário.

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind 

Sexta, 09 Dezembro 2016 15:46

 

EDITAL DE CONVOCAÇÃO
ASSEMBLEIA GERAL DA ADUFMAT- Ssind 

 

A Diretoria no uso de suas atribuições regimentais convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral a se realizar:

 
Data:  13 de Dezembro de 2016 (terça-feira)
 
Local: AUDITÓRIO DA ADUFMAT
 
Horário: às 14:00  horas com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14:30  horas, em segunda chamada, com os presentes.
 
PAUTA:

1 – Informes;

2 – Escolha de delegados e suplentes para o 36º Congresso do Andes;

3 – Novos convênios e contratos ADUFMAT; 

4 – Alteração do regimento da ADUFMAT – Seção Sindical;

5 – Organização Sindical UFMT/Várzea Grande.
 

 

Cuiabá, 09 de dezembro 2016.

 

Reginaldo Silva de Araujo
Presidente / ADUFMAT SSind

Quinta, 06 Outubro 2016 19:36

 

Os docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) decidiram que as reflexões sobre as normas que regem a distribuição dos encargos docentes, feitas durante a assembleia geral realizada nessa quinta-feira, 06/10, serão balizadoras da audiência convocada para amanhã (07/10) pelos representantes do Consepe para tratar da reformulação da Resolução 158/10. O debate será no auditório do Instituto de Geografia, História e Documentação (IGHD, antigo ICHS) a partir das 14h. Também ficou decidido que a Adufmat – Seção Sindical do ANDES reivindicará da Comissão que o novo documento não seja aprovado durante o período de férias.

 

Um grupo de docentes que vem debatendo o assunto junto ao Grupo de Trabalho de Política e Formação Sindical (GTPFS), conforme deliberado na assembleia geral de 21/07, apresentou à plenária dessa quinta-feira algumas sugestões de alterações na minuta elaborada pela comissão do Consepe.  

 

Algumas dificuldades relacionadas a diferenças estruturais de cursos e campus criados mais recentemente despertaram maior preocupação dos docentes. “Esses professores não têm mais espaços deliberativos que são importantes para a vida democrática da universidade”, ressaltou o docente José Domingues. Os campi do interior e alguns cursos da UFMT Cuiabá não têm mais a estrutura do Departamento. Assim, a formação de espaços de discussão, como colegiados e conselhos, fica prejudicada.

 

Da mesma forma, a nova estrutura também impõe dificuldades a algumas demandas dos docentes desses campi, como destacou o professor da UFMT Araguaia, Maurício Guedes, que relatou problemas para conseguir a homologação para o seu doutorado.

 

Outro ponto debatido longamente pela categoria foi o teto máximo para horas aula. Nesse sentido, o pensamento produtivista de distribuição de encargos foi duramente criticado, prevalecendo o diálogo sobre o sentido da docência e a necessária rotina de estudo e preparação do profissional, pois, além da prática de ensino, os professores da universidade também realizam pesquisas para desenvolver mais conhecimento. Por isso, a categoria manteve, em sua proposta, a carga horária máxima de 08 horas semanais para os docentes com regime de trabalho de 20 horas, e 16 horas para os docentes com regime de trabalho de 40 horas/ Dedicação Exclusiva. A minuta elaborada pelo Consepe, que será apresentada na audiência dessa sexta-feira (07) traz 12 e 20 horas, respectivamente para a atividade.

 

Essas e outras questões, já pontuadas pelos docentes, mas que não foram totalmente exploradas na assembleia, serão levadas à audiência do Consepe de amanhã para serem amadurecidas. “Nós gostaríamos de marcar mais uma assembleia para esmiuçar ainda mais a minuta e esgotar o assunto, inclusive nos campi do interior, mas o calendário das audiências divulgado pelo Consepe não está dando abertura para o debate. Por isso a participação dos docentes na audiência de amanhã é imprescindível”, afirmou o presidente do sindicato.

 

O indicativo de Greve Geral não foi debatido, devido ao avançado da hora. Os docentes contextualizaram o cenário de ataques e a necessidade de diálogo entre a comunidade acadêmica e outras categorias de trabalhadores. No entanto, ponderaram que durante as férias essas atividades ficam prejudicadas.

 

Informes

 

O advogado responsável pela ação dos 28,86%, Alexandre Alves, repassou os últimos informes sobre a ação. De acordo com Alves, a decisão do juiz César Bearsi publicada na sexta-feira (30/09) não deixa outra escolha à universidade, que não a de efetivar o pagamento para todos (clique aqui para saber mais).

 

O presidente da Adufmat-Ssind, Reginaldo Araújo, informou a todos que os preparativos para o 36º Congresso do ANDES estão em andamento, e a Adufmat-Ssind já recebeu a comissão nacional responsável pela organização do evento. Cuiabá deverá receber cerca de 500 pessoas de todo o país entre os dias 23 e 28/01/17 para o encontro (clique aqui para saber mais).

 

Araújo informou, ainda, que os docentes sindicalizados poderão retirar, a partir dessa sexta-feira (07), os convites para o Baile dos Professores. A festa será realizada no dia 15/10, na AABB (clique aqui para saber mais).  

 

A professora Vanessa Furtado falou sobre o Cine Debate que será realizado também na sexta-feira, dia 07/10, a partir das 18h, no auditório do Instituto de Educação da UFMT. A atividade, organizada pelo Coletivo de Saúde Mental UFMT” será a partir do filme “Nise – o coração da loucura” (clique aqui para saber mais).     

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind