Sexta, 09 Julho 2021 20:36

 

A assembleia geral da Adufmat-Ssind convocada para essa sexta-feira, 09/07, marcou a despedida da gestão “Luto Pela Universidade Pública”, e o início da gestão “Dom Pedro Casaldáliga: por uma Adufmat de luta, autônoma, democrática”, que assumirá o sindicato durante o biênio 2021-2023. Também tomou posse a representação da subseção do Araguaia, “Resistir e Esperançar”, eleita para o mesmo biênio.

 

O professor Aldi Nestor de Souza começou a assembleia agradecendo aos docentes e funcionários da Adufmat-Ssind. “Foram 2 anos e 3 meses mais do que excepcionais, e vocês ajudaram a atravessar esse momento. Para mim, pessoalmente, foi um período de muita aprendizagem que vou guardar com muita alegria, satisfação, e certa honra”, disse o ainda diretor geral naquele momento, afirmando seguir na luta, novamente como base.  

 

Após a aprovação da pauta, a diretoria fez informes sobre o 12º Conad Extraordinário, ainda em andamento, Festival Contra Atacar, que premiou os vencedores na última quarta-feira, 07/07 (assista aqui), e o envio do Jornal da Adufmat-Ssind, balanço da gestão. A diretora de Comunicação até aquele momento, Lélica Lacerda, aproveitou para desejar boa sorte à nova diretoria.

 

As professoras Gerdine Sanson e Clarianna Silva fizeram informe sobre o debates acerca da emancipação do campus, e chamaram a atenção para informações de alterações nas políticas de assistência estudantil da universidade. O professor Leonardo Santos, ainda pela base, falou sobre a rearticulação do Fórum Popular da Juventude em Mato Grosso.

 

No ponto de pauta “Prestação de Contas”, a diretoria esclareceu que, nesta sexta-feira, o motivo do debate foi apenas anunciar o ato da entrega dos Relatórios da gestão, disponíveis no site do sindicato (veja aqui). Não se tratou de uma assembleia de aprovação de contas. Nesse sentido, o tesoureiro Djeison Benetti explicou que o Conselho Fiscal fará a análise dos documentos e apresentará um parecer que, só então, será submetido a análise da categoria em assembleia específica.   

 

Posse

 

Para empossar a nova diretoria, o professor Aldi Nestor de Souza, marcando a despedida da gestão Luto pela Universidade Pública, relembrou algumas lutas travadas dentro e fora da universidade. Além da luta contra o Future-se, o corte de energia na UFMT, que significou um marco político, e a pandemia, o diretor lembrou da batalha das trabalhadoras terceirizadas da limpeza. A Adufmat-Ssind acompanhou a mobilização para garantir o pagamento dos salários, e também as demissões durante a pandemia. “Algumas foram demitidas simplesmente porque são velhas. Essa é uma situação para a qual a UFMT resolveu fechar os olhos. Mas a Adufmat acompanha até hoje”, disse Souza, relatando, em seguida, que o sindicato recebeu, diariamente, pedidos de ajuda de pessoas que passam fome. Nesse sentido, o trabalho da “Frente Popular pela Vida: em defesa dos Serviços Públicos e de Solidariedade ao Enfrentamento à Covid-19” fez a diferença, entregando dezenas de toneladas de cestas básicas e materiais de higiene.

 

A professora Liliane Capilé, vice-tesoureira que assumiu o setor após o afastamento de Benetti, falou sobre as reformas ainda necessárias na sede do sindicato, e de algumas que já avançaram.

 

Benetti destacou alguns detalhes que precisam ser ajustados na Tesouraria, pagamentos sendo efetuados, alguns ainda não compensados, e se colocou à disposição para fazer a transição com a próxima gestão.    

 

A professora Clarianna Silva, representando a Comissão Eleitoral do pleito de 2021, relatou os dados da eleição (disponíveis aqui) e, logo em seguida, Aldi Nestor oficializou a entrega da diretoria ao novo diretor geral, Reginaldo Araújo.

Em sua primeira manifestação à frente do sindicato, Araújo registrou o desejo de compartilhar da presença dos colegas. “Eu gostaria de estar na nossa arena, nossa oca, espaço em que a gente dialoga, disputa, vota, ri, chora. Um espaço que nos traz realizações enquanto sujeitos militantes”, afirmou.

 

O professor Leonardo Santos, agora diretor de Comunicação da Adufmat-Ssind, fez uma homenagem a Dom Pedro Casaldáliga, cujo nome inspirará a gestão. “Um homem de luta, forte, de posições firmes e coragem de manter suas posições diante daqueles que tentaram lhe expulsar do país e da sua igreja. Será inspiração para o que a gente acredita da luta social e da construção de uma sociedade. Essa homenagem será mais voltada para mostrar a síntese do que nos inspira o que a gente gostaria de construir”, afirmou, destacando três elementos que marcaram a vida e luta de Casaldáliga: a práxis (fazer o prega e pregar que faz), o pertencimento ao povo (escolher sempre os pobres), e o viver coletivo.

 

O novo diretor encerrou sua intervenção com a leitura do poema de Casaldáliga, “Canção da foice e do feixe” (leia aqui).

 

A nova tesoureira do sindicato, Maria Luzinete Vanzeler, também brincou com o distanciamento. “Espero que não fiquemos por muito tempo nesse corre-corre, estou aqui, mas estou atrasada para o Conad, tudo aqui dentro da minha casa. Esse foi um período duro, mas que nos ensinou muito. Nós temos capacidade de aprender a cada momento, capacidade de lutar a todo momento”, disse a professora.

 

A segunda diretora secretária, Márcia Corrêa, se disse contemplada pelas intervenções anteriores, mas registrou as expectativas da primeira experiência numa diretoria sindical. “Eu aceitei o convite porque acredito nos colegas e no Pedro Casaldáliga, sua história, por isso me coloque à disposição, e acredito que será uma grande oportunidade de aprendizado”, afirmou.

 

Para a professora Gerdine Sanson, essa também será a primeira experiência na diretoria do sindicato, e não na representação local. Ela agradeceu a chapa Luto Pela Universidade Pública, e falou da admiração pelo trabalho realizado. “Não sei nem dar nome ao que esse mandato teve que passar. Vocês resistiram, apesar de não conseguia reunir a categoria, tatearam no escuto para tentar resolver, manter o sindicato evoluindo. Acompanhei bem de perto, e agradeço especialmente por vocês trazerem trazido poesia, arte, como estratégia de comunicação, nesse momento tão difícil. Sou apaixonada pelo programa Pulso Cerrado”, disse a, agora, diretora geral adjunta da Adufmat-Ssind.  

 

O professor Magno Silvestri, diretor secretário, ressaltou a carga simbólica de diferentes lembranças de lutas, desafios, e o papel da comunicação na última gestão. “Manter avanços será um grande êxito desse grupo que está iniciando. Nós temos vários desafios conjunturais e estruturais, são escalas de ação política distintas, da sede e da subsede, que apresentam questionamentos e desafios diferenciados. A questão da presença física do sindicato dentro da universidade é um desses desafios”, lembrou o docente.  

 

A diretora de assuntos de Aposentadoria e Seguridade Social, Marlene Menezes se mostrou animada com a reaproximação dos debates de interesse da universidade. “Eu agradeço o convite para participar da chapa. Foi motivo de alegria e volta à luta, ao compromisso, à universidade. Eu tenho muita disposição em contribuir e trabalhar com a chapa e com a base. Nesse momento em que as adversidades são tão grandes, nós vamos conseguir fazer muita coisa. Contem comigo”, afirmou.

 

A professora Loanda Cheim, diretora de assuntos socioculturais, também agradeceu a oportunidade de contribuir com a categoria. “Toda etapa, todo desafio, é aprendizado, e a gente sai mais sábio. Trabalhar numa equipe com pessoas diferentes, com conhecimentos diferentes, com certeza me trará bastante aprendizado. E eu quero um sindicato cada vez mais atuante, sempre mais forte. Enquanto diretora de assuntos culturais possa contribuir com isso, resgatar o orgulho de ser professor, pertencer à instituição”, destacou.

 

O diretor geral, Reginaldo Araújo, agradeceu a diretoria anterior, e também falou um pouco sobre os desafios futuros. “Eu sei que essa é uma tarefa árdua, que a gente tem que se doar para a luta coletiva, e vocês pegaram uma conjuntura das mais duras depois da redemocratização. Vocês cumpriram tarefas, deixaram legado. Nós temos a clareza de que esse sindicato será forte se as pessoas compreenderem que devem estar perto da direção, e esse será nosso desafio diante de uma Educação absolutamente precarizada. Se nós estivéssemos frequentando a universidade, ela não estaria funcionando, por falta de recursos. É essa a conjuntura que nós vamos enfrentar. Um Governo Federal e também o Estadual genocidas, que diz que economizou R$ 3 bilhões no estado no qual as pessoas passam fome”.  

 

A nova diretoria já planeja um ato político e cultural de posse para a próxima semana.

 

Pela subseção do Araguaia, falou a professora Graziele Borges, que fez parte da representação local anterior e continuará no próximo biênio. “Eu sei das dificuldades das mulheres de fazer luta, e também dos homens. Gostaria de agradecer a professora Adriana Nascimento, que me trouxe para a luta após o doutorado, aos professores Eliel e Fred que estavam na gestão anterior, à Vanessa Tavares, funcionária da subseção, e à nova gestão do Araguaia, que será feita por um coletivo de sete: Ana Paula Sacco, Magno Silvestri, Gilson Costa, Ayane Paiva, Robson Lopes, Paula Alves e eu”.  

       

Ela explicou ainda que o nome “Resistir e Esperançar” também é uma homenagem ao educador Paulo Freire. “Esperançar é não sucumbir, barrar toda a forma de opressão, ir atrás, construir, não desistir, levar a diante, juntar com os outros para construir outro modo. Venha o que vier, acredito que nós vamos construir um bom trabalho”, concluiu.

 

A professora Ana Paula Sacco disse que se sentiu silenciada durante a pandemia, pelo distanciamento entre os colegas. “Ficamos cada um no seu quadradinho virtual, tivemos dificuldades de diálogos com os companheiros com relação a tantas mudanças que surgiram, a flexibilização do ensino. Nesse contexto achei importante voltar ao sindicato para ter essas discussões”, afirmou, pontuando também algumas questões locais da região do Médio Araguaia.

 

O professor Gilson Costa, formado e pós-graduado pela UFMT, falou com orgulho da relação de longa data com a instituição. “Esse é um momento desafiador e nós temos a certeza de que não da para ficar esperando as coisas acontecerem. Estamos sendo atacados cotidianamente, há um clima de fascismo nos espaços. Fortalecer a categoria e, mais do que isso, a classe trabalhadora, contribuindo como trabalhadores da educação. Esse é o nosso desafio. Queremos fortalecer nossa aliança com movimentos sociais, indígenas, entre outras demandas pontuais que diferem da capital”, disse.

 

Pela base, a professora Clarianna Silva falou que espera, neste biênio, debater a natureza da profissão e a serviço de quem a categoria está. Além disso, lembrou das dificuldades das lutas e contradições dentro do movimento no cotidiano.

 

O professor Breno Santos, diretor da Vice-presidência Regional do ANDES (VPR Pantanal) parabenizou a nova diretoria pela vitória e pela disposição para assumir uma entidade que enfrenta dificuldades ainda duras nesta conjuntura.

O professor José Airton saudou a chapa que saiu, e a que entrou. Se disse feliz escolha dos nomes e gostou do que o material de campanha propôs com relação aos aposentados.

 

A professora Maria Adenir Peraro também parabenizou o trabalho da gestão “Luto Pela Universidade Pública”, diante da conjuntura dificílima, e solicitou atenção da nova gestão ao arquivo da Adufmat-Ssind, que ajudou a construir durante a gestão da qual fez parte, entre 2017 e 2019.

 

Por fim, os presentes elegeram para o Conselho Fiscal do próximo biênio os professores José Ricardo de Souza, Adriana Queiroz e José Airton de Paula, como titulares, e Marluce Souza e Silva e Djeison Benetti como suplentes.

 

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind      

Terça, 06 Julho 2021 17:59

 


A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária a se realizar:
 
Data: 09 de julho de 2021 (sexta-feira)
Horário: às 13h30 com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h, em segunda chamada, com os presentes.




Pauta:
 
1- Informes;
 
2- Prestação de Contas - Biênio 2019-2021;
 
3- Resultado da Eleição pra Diretoria da Adufmat - Biênio 2021-2023;
 
4- Posse da Nova Diretoria da Adufmat e da Diretoria da Subseção Sindical do Araguaia - Biênio  2021-2023;
 
5- Eleição do Novo Conselho Fiscal - Biênio 2021-2023.
 

A Assembleia será online, e o link poderá ser solicitado, mediante identificação, pelo whatsapp (65) 99661-7890 com o Sérvulo.
 
 

 
Cuiabá, 06 de julho de 2021.
 

 

Aldi Nestor de Souza
Diretor Geral da ADUFMAT-Ssind

Sexta, 25 Junho 2021 08:37

Clique no arquivo anexo abaixo para visualizar o documento. 

Sexta, 11 Junho 2021 15:43

 
 

A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária a se realizar:
 
Data: 16 de junho de 2021 (quarta-feira)
Horário: às 13h30 com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h, em segunda chamada, com os presentes.



 
Pauta:
 
 
1- Informes;
 
2- Análise de Conjuntura;
 
3- Mobilização para os atos de 19 de junho;
 
4- Escolha de representantes da ADUFMAT para o 12° Conad Extraordinário.
 

A Assembleia será online, e o link poderá ser solicitado, mediante identificação, pelo whatsapp (65) 99661-7890 com o Sérvulo.
 

 
 
Cuiabá, 11 de junho de 2021.
 

Aldi Nestor de Souza
Diretor Geral da ADUFMAT-Ssind

 

Sábado, 29 Maio 2021 15:43

 

Na assembleia geral convocada pela Adufmat-Ssind para a quinta-feira, 27/05, os docentes da Universidade Federal de Mato Grosso aprovaram, entre outras coisas, a participação dos atos “Fora Bolsonaro”, convocados nacionalmente para o dia 29/05.

 

Durante os informes, a professora Gerdine Sanson falou sobre os outdoors publicados em Sinop contra as políticas do Governo Federal –as repercussões e retaliações (saiba mais aqui). A professora Lélica Lacerda lembrou que a PEC 32/20 foi aprovada esta semana na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, e destacou algumas ações da Comunicação do sindicato na campanha contra a aprovação da PEC.

 

No ponto de pauta sobre a Análise de Conjuntura, os docentes falaram sobre o sentimento de abandono na universidade, não só com relação aos estudantes, mas também gestores, além das dificuldades do ensino remoto. Ainda não há uma sistematização do que está sendo essa experiência, e os docentes, muitas vezes, se sentem perdidos.

 

A categoria reclamou, ainda, do calendário reduzido aprovado na UFMT, e citaram reitores que demonstraram compromisso com o ensino público superior fazendo alertas e denúncias à Imprensa, como ocorreu com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

 

A professora Lélica Lacerda se disse incomodada com a possibilidade da universidade parar por falta de recursos, e não pelo protesto digno dos servidores, que foram se adaptando às condições impostas pelos governos. Nesse sentido, a professora Paula citou a baixa adesão dos docentes à paralisação do dia 19/05, contra o PL 5595/20, que é um ataque frontal à universidade.  

 

O debate sobre a conjuntura alimentou os argumentos que levaram à aprovação da participação da categoria nos atos “Fora Bolsonaro” programados para Cuiabá no dia 29/05, terceiro ponto de pauta. Os docentes decidiram participar tanto a carreata pela manhã, que sairá da UFMT às 9h, quanto do ato presencial na Praça Alencastro, às 15h. “Diante do convite para morrer, de Bolsonaro, só nos resta ir para as ruas apoiar o Fora Bolsonaro”, afirmou o diretor geral do sindicato, Aldi Nestor de Souza.

 

Em Sinop o sindicato também participará da carreata, que terá concentração na Catedral às 15h.  

 

O advogado José Formiga explicou que o processo referente ao ponto de pauta quatro, ajuizamento de ação coletiva sobre alíquota de contribuição previdenciária dos aposentados, é bastante abrangente e a tramitação será longa, mas que a assembleia precisaria ratificar o ajuizamento da ação para que ela possa avançar. Após explicação, a redação aprovada pela assembleia a pedido da Assessoria Jurídica foi: aprovar a propositura da ação, visando reconhecer o direito do substituído a não sofrerem as medidas visando o equacionamento atuarial do regime própria de previdência social (majoração da base de cálculo das contribuições devidas por pensionistas e aposentados de forma a incidiram sobre a parcela dos proventos e pensões que superem o salário mínimo e igualmente instituições de contribuições extraordinárias).

 

A discussão sobre o ponto de pauta de número cinco, delegação que representará o sindicato no Conad, foi adiada para assembleia futura, porque o evento será realizado em julho.

Sobre a participação da Adufmat-Ssind na Associação Nacional de Apoio às Vítimas da Covid-19, a professora Liliane Capilé explicou que a ideia da entidade é apoiar, especialmente no âmbito jurídico, as vítimas da Covid-19, com o objetivo de garantir o acesso a direitos. No entanto, o Estatuto da Associação não ficou pronto até a data da assembleia, o que prejudicou a avaliação e possível adesão do sindicato. Assim, esse debate também foi adiado, com a sugestão de consultar o ANDES-Sindicato Nacional sobre a questão, por se tratar de uma associação nacional.

 

Por fim, com relação ao posicionamento da entidade sobre a emancipação do campus de Sinop, solicitado pela base da categoria, ficou decidido que o sindicato não se posicionará, mas apoiará o debate sobre o tema com materiais da Comunicação e também em outros espaços da instituição. A categoria tem consciência de que a falta de estrutura da universidade não será diferente a partir da emancipação, mas concorda que a decisão tem de partir dos trabalhadores da universidade. O debate teve a participação do pró-reitor do campus da UFMT em Sinop, Fábio Lourenço.  

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Quinta, 27 Maio 2021 11:56

 

Assembleia geral da Adufmat-Ssind, realizada nessa segunda-feira, 17/05, debateu e deliberou sobre os pontos de pauta Análise de Conjuntura e Regimento, Calendário e Contratação de Empresa para a Eleição da Diretoria do sindicato.

 

Durante os informes, a diretoria falou sobre os preparativos para o Dia 19/05, que será de mobilização em todo o país. Em Mato Grosso, um conjunto de entidades ligadas à Educação municipal, estadual e federal, planeja realizar panfletagens na Praça Alencastro, às 8h. Também será dia de paralisação das atividades na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), conforme aprovou a assembleia da Adufmat-Ssind do dia 05/05. O material da Panfletagem será a carta elaborada pela “Frente Ampla por Vida Digna, Vacinação em Massa e Contra as Políticas de Fome e Morte” (leia aqui).

 

Com relação à demanda de levar ao ANDES-SN a sugestão de promover um ato em Brasília com a chamada geração de 1968 – já vacinada – durante a reunião de Setor, como encaminhado na última assembleia, a diretoria informou que não houve possibilidade de incluir essa discussão, porque a pauta estava fechada: pela manhã o debate foi entorno do PL 5595/20, e no período da tarde, questões específicas do Plano de Lutas.

 

Pela base, o professor Reginaldo Araújo informou que a campanha de solidariedade feita pela “Frente Popular pela Vida: em Defesa dos Serviços Públicos e de Solidariedade ao Enfrentamento à Covid-19” já está circulando um segundo vídeo, e finalizando a entrega da última remessa de mil e cem cestas recebidas pela Organização Não Governamental Ação Cidadania.

 

Análise de Conjuntura

 

Os presentes iniciaram a análise de conjuntura refletindo sobre o contexto internacional, de intolerância e conflitos no Oriente Médio. Contexto que tem reflexo no Brasil e em Mato Grosso, a partir de atos como os promovidos pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso e Câmara Municipal de Cuiabá, que aprovaram moções de aplauso aos policiais que promoveram a maior chacina em operação policial do país na Comunidade Jacarezinho, no dia 06/05.  

 

Nesse sentido, os docentes avaliaram que o movimento mais explícito de incentivo ao ódio e desrespeito aos direitos humanos é também o movimento que apoia o governo Bolsonaro, e que foi às ruas no domingo em sua defesa. A manifestação em Brasília, no entanto, não mobilizou a quantidade de pessoas que esperavam, concluíram os docentes.

 

Com relação à UFMT, o destaque da assembleia foi a movimentação ainda não oficializada acerca da possibilidade de não abertura do campus da universidade em Várzea Grande. Feito o debate, foi encaminhado que a Adufmat-Ssind deverá fazer essa discussão, especialmente com a comunidade universitária do campus UFMT Várzea Grande que, na realidade, funciona em espaço adaptado dentro do campus de Cuiabá.  

 

Eleições para a diretoria da Adufmat-Ssind 2021

 

O professor Djeison Benetti, suplente da Comissão Eleitoral, informou que a reunião da realizada no dia 12/05 encaminhou a contratação da empresa Voto Online (de São José dos Campos), pelos valores, segurança e facilidades para efetuar o voto. Foram analisados quatro orçamentos, e a empresa indicada foi a que apresentou os menores valores, cerca de R$ 4.300,00. O docente também anunciou que no dia 13/05, a Comissão elaborou o calendário eleitoral e o Regimento do processo, junto a Assessoria Jurídica do sindicato, para evitar eventuais equívocos.

 

O processo eleitoral para escolha da diretoria da Adufmat-Ssind, biênio 2021-2023, será iniciado nesta terça-feira, 18/05. As inscrições das chapas serão entre os dias 24 e 28/05, pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . O pleito será realizado em dois dias: 30/06 e 01/07, e a assembleia de posse da nova diretoria será no dia 09/07.

 

Após apreciação da minuta de Regimento e algumas alterações para melhor orientar as inscrições de chapas para a diretoria e representações locais de Sinop e Araguaia, os docentes aprovaram o documento que orientará o processo eleitoral. Veja aqui o Regimento Aprovado na Assembleia Geral desta segunda-feira, 17/05.

 

Veja também o Anexo I (Calendário), Anexo II (Ficha de Inscrição para a Diretoria) e o Anexo III (Ficha de Inscrição para Representação Local em Sinop e Araguaia).

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Sexta, 21 Maio 2021 17:20

Atualizada às 09h40 do dia 26/05/21*  

 
A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária a se realizar:
 
Data: 27 de maio de 2021 (quinta-feira)
Horário: às 13h30 com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h, em segunda chamada, com os presentes.



 
Pauta:
 
1) Informes;
 
2) Análise de conjuntura;
 
3) Mobilização para o dia 29 de maio;
 
4) Ajuizamento de ação coletiva sobre alíquota de contribuição previdenciária dos aposentados;
 
5) Delegação para o CONAD;
 
6) Participação da ADUFMAT na Associação de apoio às vítimas da Covid-19.

7) Posicionamento quanto â proposta de emancipação do campus de Sinop da UFMT.
 
 

A Assembleia será online, e o link poderá ser solicitado, mediante identificação, pelo whatsapp (65) 99661-7890 com o Sérvulo.
 
 
 

Cuiabá, 21 de maio de 2021.

Aldi Nestor de Souza
Diretor Geral da ADUFMAT-Ssind

 

Segunda, 17 Maio 2021 18:52

 

Assembleia geral da Adufmat-Ssind, realizada nessa segunda-feira, 17/05, debateu e deliberou sobre os pontos de pauta Análise de Conjuntura e Regimento, Calendário e Contratação de Empresa para a Eleição da Diretoria do sindicato.

 

Durante os informes, a diretoria falou sobre os preparativos para o Dia 19/05, que será de mobilização em todo o país. Em Mato Grosso, um conjunto de entidades ligadas à Educação municipal, estadual e federal, planeja realizar panfletagens na Praça Alencastro, às 8h. Também será dia de paralisação das atividades na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), conforme aprovou a assembleia da Adufmat-Ssind do dia 05/05. O material da Panfletagem será a carta elaborada pela “Frente Ampla por Vida Digna, Vacinação em Massa e Contra as Políticas de Fome e Morte” (leia aqui).

 

Com relação à demanda de levar ao ANDES-SN a sugestão de promover um ato em Brasília com a chamada geração de 1968 – já vacinada – durante a reunião de Setor, como encaminhado na última assembleia, a diretoria informou que não houve possibilidade de incluir essa discussão, porque a pauta estava fechada: pela manhã o debate foi entorno do PL 5595/20, e no período da tarde, questões específicas do Plano de Lutas.

 

Pela base, o professor Reginaldo Araújo informou que a campanha de solidariedade feita pela “Frente Popular pela Vida: em Defesa dos Serviços Públicos e de Solidariedade ao Enfrentamento à Covid-19” já está circulando um segundo vídeo, e finalizando a entrega da última remessa de mil e cem cestas recebidas pela Organização Não Governamental Ação Cidadania.

 

Análise de Conjuntura

 

Os presentes iniciaram a análise de conjuntura refletindo sobre o contexto internacional, de intolerância e conflitos no Oriente Médio. Contexto que tem reflexo no Brasil e em Mato Grosso, a partir de atos como os promovidos pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso e Câmara Municipal de Cuiabá, que aprovaram moções de aplauso aos policiais que promoveram a maior chacina em operação policial do país na Comunidade Jacarezinho, no dia 06/05.  

 

Nesse sentido, os docentes avaliaram que o movimento mais explícito de incentivo ao ódio e desrespeito aos direitos humanos é também o movimento que apoia o governo Bolsonaro, e que foi às ruas no domingo em sua defesa. A manifestação em Brasília, no entanto, não mobilizou a quantidade de pessoas que esperavam, concluíram os docentes.

 

Com relação à UFMT, o destaque da assembleia foi a movimentação ainda não oficializada acerca da possibilidade de não abertura do campus da universidade em Várzea Grande. Feito o debate, foi encaminhado que a Adufmat-Ssind deverá fazer essa discussão, especialmente com a comunidade universitária do campus UFMT Várzea Grande que, na realidade, funciona em espaço adaptado dentro do campus de Cuiabá.  

 

Eleições para a diretoria da Adufmat-Ssind 2021

 

O professor Djeison Benetti, suplente da Comissão Eleitoral, informou que a reunião da realizada no dia 12/05 encaminhou a contratação da empresa Voto Online (de São José dos Campos), pelos valores, segurança e facilidades para efetuar o voto. Foram analisados quatro orçamentos, e a empresa indicada foi a que apresentou os menores valores, cerca de R$ 4.300,00. O docente também anunciou que no dia 13/05, a Comissão elaborou o calendário eleitoral e o Regimento do processo, junto a Assessoria Jurídica do sindicato, para evitar eventuais equívocos.

 

O processo eleitoral para escolha da diretoria da Adufmat-Ssind, biênio 2021-2023, será iniciado nesta terça-feira, 18/05. As inscrições das chapas serão entre os dias 24 e 28/05, pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . O pleito será realizado em dois dias: 30/06 e 01/07, e a assembleia de posse da nova diretoria será no dia 09/07.

 

Após apreciação da minuta de Regimento e algumas alterações para melhor orientar as inscrições de chapas para a diretoria e representações locais de Sinop e Araguaia, os docentes aprovaram o documento que orientará o processo eleitoral. Veja aqui o Regimento Aprovado na Assembleia Geral desta segunda-feira, 17/05.

 

Veja também o Anexo I (Calendário), Anexo II (Ficha de Inscrição para a Diretoria) e o Anexo III (Ficha de Inscrição para Representação Local em Sinop e Araguaia).

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Quinta, 13 Maio 2021 18:20

 

 
A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária a se realizar:
 
Data: 17 de maio de 2021 (segunda-feira)
Horário: às 13h30 com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h, em segunda chamada, com os presentes.



Pauta:
 
1- Informes;
 
2- Análise de Conjuntura;
 
3- Regimento, Calendário e Contratação de Empresa para a Eleição da Diretoria da Adufmat.
 
 
 
Obs: Uma minuta do regimento eleitoral será disponibilizada aos sindicalizados na página da Adufmat e nos e-mails no sábado, 15/05/2021, ao meio  dia.
 
 

A Assembleia será online, e o link poderá ser solicitado, mediante identificação, pelo whatsapp (65) 99661-7890 com o Sérvulo.
 
 
 

Cuiabá, 13 de maio de 2021.
 
 

Aldi Nestor de Souza
Diretor Geral da ADUFMAT-Ssind

Quinta, 06 Maio 2021 11:33

 

Nessa quarta-feira, 05/05, os docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) tiveram a oportunidade de compreender melhor a realidade na qual estão inseridos, durante Assembleia Geral ordinária convocada pela Associação dos Docentes (Adufmat-Ssind). Na pauta, além da análise de conjuntura, estavam previstos os pontos de pauta: Informes, Mobilização contra o PL 5595/20 no dia 19/05 e Formação da Comissão Eleitoral para eleições do sindicato. No início da plenária, a pedido da professora Clarianna Silva, foi incluído o ponto de pauta sobre a vinculação do nome da entidade em apoio a candidaturas.   

 

Durante os informes, a professora Lélica Lacerda fez o repasse da última reunião do Setor das Federais, do ANDES-SN. Foram mais de 10 horas de reunião, discutindo as pressões para o retorno ao ensino presencial. Lacerda explicou que, atualmente, o ANDES-SN se debruça sobre duas questões centrais: a provação do Projeto de Lei 5595/20, que define a Educação como serviço essencial, de uma forma que confunde a população, fazendo parecer bom, mas alterando a configuração política para impedir que a categoria pare em todo e qualquer momento de necessidade; e também a Reforma Administrativa, que visa acabar com a estabilidade dos servidores e conceder superpoderes ao Executivo, para extinguir instituições e cargos. Visando mobilizar a categoria, o ANDES-SN orientou que as seções sindicais façam rodadas de assembleias para debater a possibilidade de paralisação no dia 19/05 contra a aprovação do PL.

 

O professor Aldi destacou que o ANDES-SN também solicitou relatórios de falecimento de docentes, discentes e técnicos para compor a campanha, e lamentou que, de junho de 2020 até a data 04/05/2021, a Adufmat-Ssind tenha perdido 22 docentes sindicalizados. O Sindicato Nacional indicou, ainda, que as seções pautem os Conselhos Universitários contra a aprovação do PL. Na quarta-feira, entidades nacionais lançaram uma carta conjunta por meio de ato online, disponível na página do ANDES-SN (assista aqui).

 

A professora Gerdine Sanson avisou que laudo do prédio da Adufmat-Ssind em Sinop ficou pronto, constatando alguns problemas, como fissuras de alvenaria e elementos estruturais, além de um problema no sistema de água pluvial e infiltrações.  

 

Os docentes Breno Santos e Leonardo Santos fizeram o repasse dos atos realizados na UFMT, no dia 27/04, no qual diversas entidades de trabalhadores lançaram um Manifesto em defesa da vacinação para todos e auxílio emergencial decente, e da panfletagem no dia 1º de Maio, distribuindo máscaras e o Manifesto (leia aqui o Manifesto). Leonardo destacou ainda que a categoria dos garis está se movimentando, em Cuiabá, para construir uma greve.

 

Análise de Conjuntura

 

O debate sobre a conjuntura política teve início com a constatação de que a situação está cada vez mais difícil, e o maior desafio dos trabalhadores organizados neste momento, em pleno século XXI, consiste em garantir a manutenção das vidas. O professor Leonardo Santos afirmou que as lutas travadas neste momento têm convergido nesse sentido: pelo direito a alimentação, vacinação, pelo lockdown de verdade e auxílio emergencial decente.

 

Os confrontos na Colômbia contra uma Reforma Tributária que pretende onerar a classe média, que já resultaram em 19 mortes, também foi ponto de destaque. A Colômbia se levanta, assim como outros países latinos já o fizeram antes e durante a pandemia, por melhores condições de vida. No entanto, em detrimento do movimento popular, que é o mais importante, alguns setores acabam levantando a ideia de que governos anteriores, tidos como progressistas, possam retornar após os governos conservadores. No Brasil, há quem aposte nas eleições de 2022, em vez de envidar esforços na mobilização e ocupação das ruas pelos trabalhadores.

 

“Só há uma forma de reverter a situação na qual nos encontramos: a classe se colocar em movimento, entrar na cena política”, afirmou a professora Lélica Lacerda.  

 

Como não há espaço vazio na política, o professor Aldi Nestor de Souza ressaltou que personagens como Olavo de Carvalho e Felipe Neto acabam ocupando esses espaços – este último, inclusive, em setores da chamada esquerda. Apesar da crítica a respeito do esvaziamento do debate político representado por essas figuras, os exemplos trouxeram reflexões sobre a importância de levar o debate político mais consistente às redes sociais.

 

Com relação à conjuntura dentro da UFMT, docentes destacaram que o reitor eleito e nomeado tem se revelado, de fato, um interventor, seguindo as orientações do Governo Bolsonaro e se recusando, inclusive, a dialogar com o sindicato quando solicitado. Apesar das denúncias feitas pela Adufmat-Ssind à época da farsa eleitoral, os docentes lembraram que uma parte da comunidade acadêmica decidiu legitimar a eleição.

 

O professor Waldir Bertúlio lembrou que há uma sugestão, em âmbito nacional, de que militantes já vacinados devem à Brasília realizar um ato, relembrando a geração que lutou contra a ditadura militar em 1968. Após o debate, foi encaminhado que a diretoria do sindicato levará a sugestão para a reunião do Setor marcada para o dia 14/05. Também foi encaminhado que a Adufmat-Ssind deve convidar os Diretórios Centrais de Estudantes (DCE’s) e o Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos (Sintuf/MT) para construir uma plenária conjunta e aberta da comunidade acadêmica.

 

Comissão Eleitoral

 

Foram indicados pela plenária, como titulares da Comissão Eleitoral responsável pela eleição da diretoria da Adufmat-Ssind, os professores Aldi Nestor de Souza, Clarianna Silva e Clara dos Reis. Os suplentes são os professores Djeison Benetti e Vinícius Santos. O edital deve ser publicado até o dia 24/05 e, segundo o Regimento da entidade, as eleições ocorrerão entre 45 e 75 dias após o fim do mandato.  

 

Paralisação e Mobilização no dia 19/05

 

Após todo o exposto durante a análise de conjuntura, pela gravidade da situação, os docentes aprovaram a paralisação da categoria e mobilizações contra o PL 5595/20 no dia 19/05. Além disso, sugeriram que o sindicato elabore materiais curtos e de conteúdo direto, demonstrando a verdadeira intenção do PL 5595/20.

 

Vinculação do nome da Adufmat-Ssind em apoio a candidaturas

 

No ponto de pauta incluído no início da assembleia, os sindicalizados debateram sobre a possibilidade de adotar orientações a diretores e ex-diretores da Adufmat-Ssind, com relação a manifestações públicas de apoio a candidaturas.

 

As opiniões divergiram nesse sentido, considerando que não se pode censurar as liberdades de expressão e manifestação de quem quer que seja e, ao mesmo tempo, é preciso garantir que o nome da entidade não seja vinculado a defesas de projetos de sociedade que não sejam os construídos historicamente pelo ANDES-SN e pela Adufmat-Ssind.

 

Ao final de várias manifestações, a categoria decidiu suspender a discussão para amadurecer a ideia e recolocá-la em pauta em nova assembleia geral.  

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind