Quarta, 21 Outubro 2020 22:36

Plenária da Adufmat-Ssind encaminha a realização de assembleias online Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

 

Docentes devem deliberar sobre temas importantes já na próxima semana

 

Nessa quarta-feira, 21/10, os professores da Universidade Federal de Mato Grosso, base da Associação dos Docentes (Adufmat-Ssind), se reuniram em plenária e decidiram retomar a realização de assembleias gerais por meio de plataformas digitais. O ponto de pauta foi incluído na Plenária convocada para debater informes, análise de conjuntura, e duas propostas para a Comunicação da entidade: expedição ao Pantanal e campanha contra a Reforma Administrativa.

 

O debate sobre a retomada das assembleias se deu porque, de acordo com o Regimento da Adufmat-Ssind, a maior instância deliberativa da entidade só pode ser realizada presencialmente, na sede. Por esse motivo, durante toda a quarentena, o sindicato realizou apenas duas assembleias para eleição de delegados para os Conselhos Extraordinários do ANDES-Sindicato Nacional. No entanto, nessa quarta-feira, respaldados pela legislação que versa sobre atividades online somente durante a pandemia – como a Lei 14010/2020, a categoria decidiu realizar assembleias online com maior frequência, para debater todos os temas de interesse.

 

Já na próxima semana, a diretoria deve convocar uma assembleia para debater dois pontos de pauta que constavam na pauta dessa quarta-feira - expedição ao Pantanal e campanha contra a Reforma Administrativa. A diretora de Imprensa, Lélica Lacerda, chegou a fazer informes, mas a plenária decidiu discuti-las após a retomada formal das assembleias. Com relação à Expedição Pantanal, ficou decidido aprofundar o debate com o Grupo de Trabalho Política Agrária, Urbana e Ambiental da Adufmat-Ssind (GTPAUA) antes da apresentação da proposta à base.

   

Na análise de conjuntura, o diretor geral da Adufmat-Ssind, Aldi Nestor de Souza, iniciou o debate destacando que a fome voltou a mobilizar o mundo. Em outras palavras, a desigualdade social aumentou ainda mais. O diretor chamou a atenção para o fato de, nos últimos dias, o trabalho de combate à fome ter recebido o Nobel da Paz e, no Brasil, a ONG Ação Cidadania ter anunciado a retomada da campanha “Natal Sem Fome”, iniciada pelo sociólogo Herbert de Souza (Betinho) na década de 1990, e suspensa há três anos. “Enquanto isso o governo zerou os impostos para exportação de grãos. Ou seja, as pessoas passam fome, e o Estado brinca com isso”, lamentou o docente.

 

Agravando o quadro, as queimadas num estado repleto de outdoors em apoio a Bolsonaro, simbolizando as contradições de uma sociedade que reivindica melhorias, mas fomenta políticas que só beneficiam a destruição, do ambiente e de direitos.

 

Diante disso, a resposta da Bolívia ao golpe arquitetado pelos neoliberais conservadores, em apenas um ano, suscita questionamentos sobre os motivos que impedem o Brasil de reagir da mesma forma. De acordo com o professor Leonardo Santos, isso se deve à autonomia de organização e atuação dos grupos populares bolivianos, diferentemente dos brasileiros.

 

A nomeação do professor Evandro Soares à Reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso também foi destaque na análise de conjuntura. Os docentes iniciaram uma discussão sobre como deve ser o diálogo entre o interventor – considerando que a entidade não reconhece a eleição não paritária – e o sindicato, debate que também deve continuar nas próximas assembleias.

 

Durante os informes, a diretoria informou que, aparentemente, uma das primeiras ações da nova administração foi enviar um servidor à Adufmat-Ssind para fotografar o quadro de luz, para iniciar a cobrança de energia.

 

Nesse processo de enfrentamento aos ataques nas esferas micro e macro, a comunicação será uma ferramenta central, concluíram os docentes. No entanto, a luta tem de ser feita nos espaços presenciais, na rua e nos espaços como os Conselhos Universitários.

 

Os alertas emitidos pelo sindicato, como os problemas de aderir à Flexibilização do ensino, entre outros, já se comprovam e causam dificuldades para a categoria. O encaminhamento foi mobilizar ações do Grupo de Trabalho Política e Formação Sindical (GTPFS) e da Comunicação do sindicato, produzindo material de denúncia.  

 

Informes

 

Os informes repassados pela diretoria do sindicato nessa quarta-feira foram: sindicatos do estado continuam se reunindo para elaborar ações contra a Reforma Administrativa, e pretendem realizar uma grande carreata no dia 28/20; o sindicato decidiu rescindir o contrato com a atual Assessoria Jurídica e fará um processo seletivo para a substituição; uma cartilha sobre a Reforma Administrativa foi elaborada e deverá ser disponibilizada aos sindicalizados nos próximos dias; a diretoria está visitando Faculdades e Institutos para falar de assuntos de interesse da categoria.

 

O professor Aldi Nestor informou ainda que iniciará um projeto de alfabetização no bairro Terra Prometida, onde o sindicato realizou distribuição de alimentos durante a pandemia. Um edital do Ação Cidadania garantiu recursos para compra das apostilas e, ao final, os estudantes realizarão as provas para obter os certificados de conclusão das etapas escolares. Outros professores se dispuseram a ajudar voluntariamente com as aulas.  

 

O professor Leonardo Santos fez informe qualificado do 9º Conselho Extraordinário do ANDES-SN (Conad), do qual foi delegado.

 

O professor Breno Guimarães falou sobre as dificuldades de garantir a discussão acerca do relatório dos docentes em estágio probatório durante a pandemia no Conselho de Ensino e Extensão da universidade (Consepe). O ponto de pauta já foi protelado duas vezes, e aparece novamente como último ponto de pauta na reunião convocada para a próxima semana.

A professora Graziele Pena, representante sindical em Barra do Garças informou que a Caixa Econômica Federal fez um investimento com os recursos da conta da Subseção da Adufmat-Ssind durante quase 4 meses. Após contestação, informou que esse tipo de transação está prevista no contrato, mas não fará novamente, apedido da entidade. A professora também informou que as entidades do Araguaia decidiram realizar o processo de consulta para Pró-reitores, e que também há movimentação no campus para cobrança de aluguel da subsede do sindicato. Por fim, falou sobre a distribuição de lembrancinhas para marcar o Dia dos Professores, com um cartãozinho ironizando o descaso do Governo Federal para com a categoria. “Professor, você poderia ser o que quisesse, mas escolheu uma das profissões mais dignas: a docência!”, diz o cartão distribuído.

 

A professora Lélica Lacerda acrescentou que não é só isso. Esse ano, o Dia dos Professores será lembrado junto ao Dia do Servidor Público - 28/10. Na data, próxima quarta-feira, haverá mobilização durante o dia e a Live Cultural “Nem cálice, nem cale-se” durante a noite. Além disso, os docentes vão receber em casa uma edição especial do Jornal da Adufmat-Ssind, sobre a Reforma Administrativa, e uma caneta e um calendário personalizados.

 

O professor Reginaldo Araújo informou que a Frente Popular pela Vida já distribuiu cerca de 50 toneladas de alimentos, material de limpeza, fraldas e cobertores. No entanto, a campanha continua. Por isso, professores estão gravando pequenos vídeos para incentivar as doações. Os interessados em ajudar com vídeos poderão solicitar as instruções diretamente ao docente.

 

Dialogando com o informe sobre a discussão no Consepe sobre os relatórios de professores em estágio probatório, a professora Raquel Brito informou que há diversos questionamentos à última Resolução do Conselho, pois o texto traz exigências que não constavam na anterior, além de questões muito subjetivas e foco na exoneração. A professora também lembrou que haverá eleição para diretoria do ANDES Sindicato Nacional entre os dias 03 e 06/11.

 

O professor Vinícius Souza fez um destaque sobre a questão da autonomia universitária. No Departamento de Matemática, os docentes decidiram prorrogar o mandato do chefe de departamento por seis meses para, ao final, fazer o debate necessário para nova indicação. A direção do Instituto respondeu que não faria isso não seria possível, e levou a questão à Congregação, que orientou a realização da eleição em 45 dias. Com esse exemplo, o professor sugeriu que o sindicato volte a debater autonomia universitária.  

 

Encerrando os informes, a professora Marluce Silva, que compõe a Comissão Mista de Orçamento formada por representantes do Consepe e Cosuni, disse que o trabalho está seguindo conforme planejado e, se quiserem, as entidades que representam a comunidade docente podem apresentar propostas. O resultado deverá ser apresentado até a última reunião do Consuni de 2020. Além disso, a docente falou das atividades realizadas pelo ICHS, como o Seminário da Dívida, e agradeceu às contribuições da Adufmat-Ssind.

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Ler 90 vezes Última modificação em Quarta, 21 Outubro 2020 22:40