Terça, 03 Julho 2018 16:48

Docentes concluem os trabalhos do 63º Conad, atualizando o plano de lutas da categoria Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

 

Após quatro dias de intensos debates, os docentes presentes no 63º Conad, em Fortaleza, concluíram os trabalhos e encerraram as atividades na noite de domingo, 01/07, atualizando o Plano de Lutas da categoria. Debates importantes, que tiveram como ponto de partida as análises de conjuntura, balizaram as proposições com foco na reorganização da classe trabalhadora, a luta contra a retirada de direitos e em defesa da educação pública, gratuita e de qualidade.  

 

Grupos de Trabalho reafirmaram posições históricas do sindicato nacional como a luta contra o Agronegócio e o uso de agrotóxicos, pela mobilidade urbana e o direito à cidade, por meio do Grupo de Trabalho Política Agrária, Urbana e Ambiental (GTPAUA). O Grupo de Trabalho Política de Classe para Questões Étnico-raciais, Gênero e Diversidade Sexual (GTPCEGDS) destacou a defesa aos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, assim como o Grupo de Trabalho de Seguridade Social e Assuntos de Aposentadoria (GTSSA) apontou ações na defesa da Previdência Social e contra a Ebserh.

 

Dentre as tarefas atribuídas ao GT de Formação Política e Sindical (GTPFS) caberá realizar novos cursos de formação para a categoria, a fim de tentar fortalecer o GT, além do próprio sindicato.

 

O GTPFS da Adufmat-Ssind aproveitou a abertura da Plenária com tema “Avaliação e atualização do plano de lutas: educação, direitos e organização da(o)s trabalhadora(e)s” para fazer o lançamento do Caderno de Textos de Formação Política e Sindical. “Esse material está sendo finalizado e será acompanhado de um caderno suplementar, resultado de uma pesquisa sobre todas as leis aprovadas de janeiro de 1995 a setembro de 2016, que dizem respeito aos direitos dos trabalhadores, junto a uma confrontação de materiais do DIAP e do Dieese”, disse a professora Alair Silveira, membro do GTPFS da Adufmat-Ssind.  

 

Para o presidente da Adufmat-Ssind, Reginaldo Araújo, que presidiu uma mesa já como integrante da direção nacional, o espaço é imprescindível para o exercício da democracia interna do sindicato. “O Conad é um evento estratégico, que reuniu nessa edição mais de 300 pessoas. Nele, o ANDES-SN tem a oportunidade de aperfeiçoar seus debates e a forma de exercitar a democracia em seus processos. Ao mesmo tempo, atualizamos a agenda de lutas com relação a questão da Contrarreforma da Previdência, contra a utilização de agrotóxicos, entre outras questões”, afirmou o docente.

 

Além dessas discussões, a plenária rejeitou, em votação apertada, mas de contraposições expressivas, uma resolução propondo reavaliação do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, caracterizando um golpe que culminou na prisão do ex-presidente Lula. A diretoria propôs um texto alternativo, no entanto a plenária decidiu pela rejeição à íntegra da proposta.

 

Também houve debate e encaminhamentos sobre apoio aos migrantes venezuelanos em parceria com a CSP Conlutas, defesa da universidade popular e a adoção de cotas raciais em concursos e na composição do sindicato. Além disso, os delegados aprovaram um texto assumindo a postura contra o genocídio do povo palestino, a partir da campanha Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS) a Israel.

 

Delegação da Adufmat-Ssind no 63º Conad.

Da esquerda para a direita: Reginaldo Araújo (neste Conad representando a diretoria eleita e empossada durante o evento), Alair Silveira (delegada), Patrícia Marisco, Adriana Pinhorati, Haya Del Bel e Clariana Silva (suplentes).

 

Para as professoras da Adufmat-Ssind nos campi do interior, Patrícia Marisco e Adriana Pinhorati, que participaram pela primeira vez do evento, o Conad representou uma forma de verificar mais de perto o processo de discussão e tomada de posições do sindicato.

 

“Para mim o Conad foi uma experiência enriquecedora. Eu já tinha ouvido alguns colegas que participaram falarem das suas impressões com relação a construção coletiva, mas foi muito bom perceber que, num grupo com diferentes representantes, todos falam a mesma língua, compreendendo a função do sindicato na defesa da luta e da profissão docente. O Conad foi a construção de um plano de lutas da classe em geral, e eu fico feliz por poder participar, inclusive com a presença do meu filho, que foi muito bem acolhido pela organização do evento no espaço infantil. Há, claro, algumas coisas a aprimorar, como a questão do almoço para as crianças, mas de modo geral o evento foi excelente para reflexão. Eu penso que todo docente deveria participar ao menos uma vez”, disse a professora Adriana Pinhorati, da Adufmat-Ssind Araguaia.   

 

A professora Patrícia Marisco apontou impressão semelhante. “Esta experiência está sendo muito enriquecedora. É o meu primeiro contato com a dinâmica de trabalho para a tomada de decisões no coletivo, e eu percebo que é cada vez mais importante, premente, organizar a luta para combater as medidas que causam detrimento da universidade gratuita e de qualidade. Estou aprendendo e entendendo a dinâmica do processo”, afirmou a docente de Sinop. 

 

No total, participaram do 63º Conad 308 pessoas, sendo 61 delegados e 210 observadores representando 70 Seções Sindicais, além de 32 diretores do ANDES-SN e 5 convidados.

 

Em alguns dias, o Sindicato Nacional publicará o caderno de resoluções com todos os textos aprovados nas plenárias. Também por decisão da categoria no Conad, o 64º Conselho será realizado em Brasília, organizado em conjunto pelo ANDES-SN e a Adunb Seção Sindical do ANDES-SN.

 

VEJA AQUI A GALERIA DE IMAGENS DO EVENTO

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Ler 491 vezes Última modificação em Terça, 03 Julho 2018 17:21