Sexta, 18 Agosto 2017 17:40

Categoria aprecia prestação de contas da última diretoria da Adufmat-Ssnd Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

 

Nessa sexta-feira, 18/08, docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), reunidos na Assembleia Geral da Adufmat – Seção Sindical do Andes, realizaram o debate sobre a prestação de contas da gestão “Adufmat Plural, Autônoma, Democrática e de Luta!”, diretoria que esteve à frente do sindicato entre março de 2015 e abril de 2017.

 

Os membros do Conselho Fiscal responsável pela análise das contas daquele período, professores Sirlei Silveira, Alexandre Machado e Celia Alves, expuseram o relatório por cerca de uma hora, apontando as principais considerações de um total de 505 pontos destacados. “Sentimos falta de alguns documentos, e registramos, por entender que eles podem evitar estranhamento ou até constrangimento da diretoria com relação a análise dos dados”, apontou a professora Sirlei Silveira. De acordo com a docente, a intenção do Conselho foi elaborar um relatório construtivo, com orientações, sem intenção de indicar aprovação ou reprovação.

 

Em seguida, o presidente da Adufmat-Ssind na referida gestão, Reginaldo Araújo, utilizou de igual espaço de tempo para apresentar suas considerações sobre os destaques do Conselho. O docente questionou a declaração de ausência de documentos, e os disponibilizou na assembleia. “Acredito que deve ter havido alguma confusão do Conselho nesse sentido, porque nenhuma diretoria deixaria de fornecer documentos, se expondo e correndo o risco de ter de responder, mais tarde, por todos esses itens apontados. E boa parte dos documentos listados está aqui”, afirmou Araújo.

 

Outros pontos levantados pelo Conselho, como garantia do desconto de ISSQN – realizado pela Prefeitura, e o pagamento de contas que não fornecem nota fiscal, como as de telefones, foram justificados.  

 

A professora Juliana Ghisolf, membro do Conselho Fiscal responsável pelas contas da gestão atual (2017-2019), lembrou que alguns dos destaques feitos no relatório remeteram à sua participação em Conselhos Fiscais anteriores. “Na diretoria do Sanches nós já alertávamos sobre a necessidade de algumas adequações apontadas pelo Conselho”, disse a docente.

 

O professor Maelison Neves afirmou que a avaliação, além de técnica, deveria ser política. “Nós podemos observar que a gestão 2015-2017 foi bastante ativa, enfrentou uma greve difícil, realizou vários atos locais e em Brasília, além de eventos e debates sobre temas como as Reformas Trabalhista e da Previdência”, destacou.  

 

Após algumas intervenções acaloradas, atribuídas ainda ao período eleitoral de 2017 para a diretoria do sindicato, o professor Ricardo Campomanes, do campus da UFMT em Sinop, ressaltou que os presentes deveriam concentrar o debate no enfrentamento às políticas de precarização e sucateamento impostas pelo Governo e seus aliados. “A diretoria está de parabéns, pois realizou um ótimo trabalho, e se cometeu erros, certamente não foram propositais. Do mesmo jeito, o Conselho Fiscal também dedicou tempo e empenho na realização desse relatório. Agora nós temos de nos concentrar contra o verdadeiro inimigo, que está em Brasília”, pontou.

 

O debate seguiu, ainda, até o final da manhã, sem encontrar definição quanto a alguns cálculos divergentes. Diante disso, a plenária encaminhou e aprovou as seguintes ações: consultar a assessoria jurídica do sindicato com relação a atuação de um dos bancos responsáveis pelos recursos do sindicato; recomendar à atual diretoria a publicização do balancete trimestral das contas, conforme Regimento da entidade, e independente de manifestação do Conselho Fiscal; recomendar para a diretoria atual a adoção do modelo de Plano de Contas do Andes-Sindicato Nacional; acionar o escritório de Contabilidade para esclarecer eventuais dúvidas nas assembleias em que esses temas serão debatidos; fornecer a documentação necessária aos próximos Conselhos Fiscais mediante protocolo de entrega; formar uma comissão e agendar uma reunião com o escritório de Contabilidade que atende a Adufmat-Ssind (além do presidente e dos conselheiros fiscais daquela gestão, os docentes Juliana Gisolfi  e Vicente Ávila devem acompanhar a audiência); realizar nova assembleia para avaliar o resultado da reunião com o escritório.

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind          

Ler 607 vezes