Terça, 17 Maio 2022 17:09

 

É com profundo pesar que a Adufmat-Ssind e a Regional Pantanal do ANDES-SN comunicam o falecimento da professora da rede básica de Sinop, Sidinei Oliveira Cardoso, e de seu filho Carlos André, vítimas de um acidente de ônibus na BR 163, no trecho entre Sorriso e Sinop, ocorrido hoje (17/05), por volta do 12h, e que vitimou, ao todo, onze pessoas.

 

A professora era militante atuante em Sinop, primeira secretária do Sintep/MT, e participou de muitas lutas, especialmente em defesa dos direitos das mulheres trabalhadoras. Na ocasião do acidente, inclusive, estava regressando de atividade sindical ocorrida em Cuiabá.

 

Aos colegas, amigos e familiares da Professora Sidi, como era conhecida, de seu filho e de todas as vítimas dessa lamentável tragédia, as Diretorias da ADUFMAT-SSind e da Regional Pantanal do ANDES-SN expressam os mais sinceros sentimentos.

 

Ainda não há informações sobre local e horário do velório.

Sábado, 08 Agosto 2020 14:46

É com profundo pesar que a Adufmat-Ssind comunica o falecimento do bispo emérito de São Félix do Araguaia, Dom Pedro Casaldáliga, aos 93 anos, na manhã deste sábado (08/08). Símbolo de resistência e conhecido pelo seu trabalho pastoral ligado ao combate à violência dos conflitos agrários e defesa de direitos dos povos indígenas, o bispo emérito estava internado há uma semana devido a problemas respiratórios agravados pelo Mal de Parkinson. Ele havia sido transferido para um hospital em Batatais (SP) na noite de terça-feira (04/08). 

Para a Adufmat-Ssind, Dom Pedro Casaldáliga foi um baluarte da resistência dos povos originários. Sua história foi de luta e resistência pela garantia de direitos humanos, pois a sociedade capitalista não reconhece a humanidade.  Por fazer parte da mesma luta, o sindicato tem plena ciência da grandeza de Pedro Casaldáliga.

Alvo de inúmeras ameaças de morte e até mesmo de processos de expulsão do Brasil, durante a Ditadura Militar, ficou conhecido pela sua atuação pastoral e pela sua produção literária, que inclui poesias a manifestos, artigos, cartas circulares, obras ligadas a espiritualidade e de cunho político, editadas e publicadas no Brasil e no exterior. 

Em meados dos anos de 1980, se aproximou de pesquisadores da UFMT compartilhando o seu conhecimento acerca da região amazônica durante a penetração do capital naquele espaço, na tentativa de incorporá-lo à economia nacional e internacional com o programa POLOAMAZÔNIA. Três dos pólos prioritários eram em Mato Grosso: Xingu-Araguaia, Juruena e Aripuanã. “O Polo Xingu-Araguaia se situava na região da Fazenda Suiá-Missu, na Prelazia do Araguaia, local onde está localizada a Terra Indígena Xavante-Marãiwatsede. Então, foi inevitável recorrer a D. Pedro Casaldáliga, em função do seu profundo conhecimento da região, do trabalho que realizava em defesa dos povos indígenas, dos quilombolas, dos posseiros e de todos os pobres e expropriados da frente de ocupação da Amazônia”, lembra o professor José Domingues de Godoi Filho. 

Godoi ressalta que os laços de D. Pedro com a Adufmat-Ssind se estreitaram em 1999, quando dirigiu o sindicato e foi procurado por um trabalhador em regime de trabalho análogo à escravidão no noroeste do estado, que após conseguir se salvar do acampamento solicitou ajuda para encontrar outro colega. “Ele nos pediu ajuda e nos informou que um outro colega teria fugido para a região da Prelazia no Araguaia. Ao mesmo tempo que o acomodamos em local seguro, fomos procurar o seu colega. Eu, uma jornalista da Adufmat-Ssind, uma funcionária de apoio e um jornalista e um fotógrafo de um jornal de Cuiabá, seguimos para São Félix do Araguaia para consultar D. Pedro sobre a situação e para saber se ele tinha alguma notícia do fato ocorrido na região”, afirma Domingues.  

Em 2002, o sindicato propôs que a UFMT concedesse o título de “Doutor Honoris Causa” à D. Pedro Casaldáliga, em reconhecimento ao seu trabalho e luta por defender os direitos humanos, especialmente dos povos indígenas e marginalizados e também por suas posições políticas e religiosas a favor dos mais pobres. Assim, o bispo foi a primeira pessoa a receber tal honraria por parte da UFMT. 

Para José Domingues, o falecimento de D. Pedro é uma perda irreparável, especialmente no momento em que vivemos. "Grande D. Pedro, obrigada por seu exemplo de coragem e de luta. Honraremos a sua memória!”, declara. 

Em 2018, a Adufmat-Ssind também realizou um ato em homenagem aos 90 anos de Dom Pedro. 

Nas palavras do professor Domingues, o sindicato manifesta sua gratidão e respeito à vida de luta de D. Pedro Casaldáliga. 

 

"Malditas sejam todas as cercas! Malditas todas as propriedades privadas que nos privam de viver e de amar! Malditas sejam todas as leis, amanhadas por umas poucas mãos, para ampararem cercas e bois e fazer da Terra escrava e escravos os homens"

Dom Pedro Casaldáliga.

 

Dom Pedro Casaldáliga, presente hoje e sempre!

 

Informações sobre o velório: 

De acordo com a Prelazia de São Félix do Araguaia, que comunicou o falecimento de D. Pedro neste sábado, o bispo será velado em três lugares:

Em Batatais – SP, no dia 08 de agosto de 2020, a partir das 15 horas na capela do Claretiano – Centro Universitário de Batatais, unidade educativa dirigida pelos Missionários Claretianos, situada à rua Dom Bosco, 466, Castelo, Batatais, São Paulo, Brasil.

A missa de exéquias será celebrada, em Batatais, no dia 09 de agosto de 2020 às 15h, no endereço acima e será aberta ao público em geral, além de ser transmitida ao vivo pelo link https://youtu.be/spto8rbKye0. O link estará aberto para que outros veículos de comunicação possam retransmitir. 

Em Ribeirão Cascalheira – MT, no Santuário dos Mártires, a partir do dia 10 de agosto, sem previsão de horário de chegada do corpo.

Em São Félix do Araguaia – MT, no Centro Comunitário Tia Irene. O sepultamento será em São Félix do Araguaia, sem previsão de dia, pois antes passará por Ribeirão Cascalheira.

 

Layse Ávila

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Sexta, 03 Julho 2020 17:55

 

É com profundo pesar que a Adufmat-Ssind comunica o falecimento da Profª Marilia Beatriz de Figueiredo Leite, docente aposentada do Instituto de Linguagens (IL), ex-presidente da Academia Mato-grossense de Letras (AML) e uma das fundadoras da UFMT.
 
O falecimento ocorreu no início da tarde desta sexta-feira, 03/07/20, em decorrência da Covid-19.
  
Além da enorme contribuição teórica e prática à cultura de sua terra, Cuiabá, a professora Marília Beatriz também foi grande incentivadora da Associação dos Docentes (Adufmat-Ssind). Fazia questão de compartilhar com os colegas sindicalizados suas inúmeras atividades, e participava sempre que possível dos eventos do sindicato.  
 
Quem conheceu a professora Marília Beatriz sempre se lembrará da figura sorridente, alegre e interessada em todo debate capaz de fazer pensar. 
 
Aos colegas, amigos e familiares, a diretoria do sindicato expressa os mais sinceros sentimentos.  
 
 
Professora Marília Beatriz, presente!
 
Segunda, 15 Junho 2020 17:12

 

A diretoria da ADUFMAT- SSInd manifesta grande pesar pela perda de Vinny Rasec, estudante do curso de Pedagogia, e Rosimeire Laurêncio Soares, ex-aluna do curso de Nutrição, vítimas da COVID-19. Nos solidarizamos com seus familiares, amigos, colegas e professores.


Vivemos um dos momentos mais difíceis de nossa história, com o número crescente de vítimas intensificado por políticas eugenistas e racistas que aprofundam a desigualdade social.

 

Mais do que nunca, precisamos fortalecer os laços de solidariedade e a luta por uma outra sociedade que coloque a vida e equidade social acima de tudo.

 

 

Diretoria da Adufmat-Ssind

Segunda, 09 Março 2020 09:29

 

A Adufmat, Seção do ANDES – SN, recebe com enorme pesar a notícia da morte de Daniquel Oliveira do Santos, coordenador de infraestrutura do MTST na Ocupação Fidel Castro, em Uberlândia, Minas Gerais. Ao que tudo indica, Daniquel foi executado, na madrugada do dia 05 de março de 2020, por agentes da Polícia Militar do Estado de Minas. Os relatos que chegam dos lutadores e lutadoras sociais da região é que Daniquel era um militante valoroso e combativo, cujo trabalho na coordenação do movimento era essencial para o pleno funcionamento da ocupação. Foi por conta deste trabalho, de sua luta, que Daniquel foi assassinado.


Estamos nos aproximando dos dois anos desde a execução da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, cujas mortes desvelaram o lado mais sujo do Estado brasileiro, um Estado leiloado, miliciano. Não podemos nos furtar a conectar esses dois crimes. Marielle e Daniquel foram assassinados por conta das lutas que travaram ao lado do povo, lutas estas que ameaçam hegemonias locais e nacionais que lucram em cima da miséria, da exploração, da tortura, do assassinato. Daniquel construiu, por mais de três anos, o movimento por moradia digna em Uberlândia. Seu trabalho e sua luta serão sempre lembrados.


A Adufmat – SSIND manifesta seu pesar por esse crime brutal e oferece sua solidariedade a familiares, amigos/as e companheiros/as de Daniquel. Acreditamos que sua morte não será em vão, muito menos o que ele fez em vida. Nos colocamos ao lado daqueles/as que tombaram pelas mãos do Estado e do legado que nos deixam. Em memória de Daniquel, nenhum minuto de silêncio pelos nossos mortos, e uma vida inteira de luta por justiça. Força, MTST! Força, Ocupação Fidel Castro! Avante, lutadores e lutadoras que estão na linha de frente contra a barbárie brasileira!

 

Adufmat – SSIND

Segunda, 03 Dezembro 2018 15:14

 

A Adufmat-Seção Sindical do ANDES-SN vem a público manifestar profundo pesar pelo falecimento precoce dos companheiros de luta Jocilene Barboza e Júlio Cesar Viana, vítimas de um acidente na BR 163, em Diamantino, na tarde de domingo, 02/12/18.

 

Jocilene e Júlio César faziam parte da atual diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública de Mato Grosso (Sintep/MT) - presidência e secretaria de Articulação Sindical, respectivamente - e retornavam de uma atividade do sindicato quando ocorreu o acidente.

 

Militantes históricos em defesa da educação, dos direitos das mulheres e trabalhadores em geral, Jocilene e Júlio César deixam, além da saudade, o exemplo de que só a união e a luta coletiva transformam, de verdade, a vida dos trabalhadores.

 

Jocilene foi a primeira mulher eleita pela base para presidir o Sintep/MT, e Júlio César contribuiu, também na presidência da entidade, em duas gestões anteriores - 1998 a 2002 e 2003 a 2006. Para além da pauta da educação, os companheiros atuaram em diversos espaços, como conselhos de representantes e na própria Central Única dos Trabalhadores (CUT) do estado.

  

O velório será a partir das 18h30, na Capela Jardins, sala Orquídia, em Cuiabá, localizada na Rua Manoel Ferreira de Mendonça, 364 – Jd. Bandeirantes.

 

Aos familiares e amigos, nossos sinceros sentimentos e total solidariedade.

 

Jocilene Barboza, presente!

 

Júlio César Viana, presente!

 

 

 

Diretoria da Adufmat-Ssind

Cuiabá, 03 de dezembro de 2018

Quarta, 18 Abril 2018 16:31

 

Com profundo pesar, vimos novamente informar o falecimento de outra importante militante histórica da Adufmat-Ssind nessa quarta-feira, 18/04. Na madrugada, como informamos em nota anterior, faleceu o professor Luiz Alfeu Moojen Ramos e, no início da tarde, a professora Lylia da Silva Guedes Galetti, que estava internada no Hospital da Beneficência Portuguesa de São Paulo - capital.
 
O corpo da professora Lylia será cremado e parte das cinzas, à pedido da historiadora, serão levadas para Fortaleza, onde nasceu e onde ainda residem seus familiares. Outra parte, também por sua vontade, será trazida para Cuiabá, onde viveu e desempenhou, com admirável energia e dedicação, seu trabalho como docente e militante política, sempre em defesa da classe trabalhadora.
 
Lylia da Silva Guedes Galetti foi presidente da ADUFMAT entre 14/12/1988 e 13/12/1989, na Chapa ADUFMAT AUTÔNOMA E DEMOCRÁTICA, foi professora do Departamento de História da UFMT por quase duas décadas, e se aposentou no final de 2016.
 
A Adufmat-Ssind expressa sua dor pela perda desta incansável intelectual e militante política na luta pela redemocratização de nosso pais e pela defesa dos direitos dos trabalhadores. 

 

Adufmat-Ssind

Quarta, 18 Abril 2018 14:12

 

 

Com profundo pesar, a Adufmat-Ssind informa o falecimento do professor aposentado da Faculdade de Direito, Luiz Alfeu Moojen Ramos, na madrugada dessa quarta-feira, 18/04. O velório está sendo realizado na funerária Santa Rita, em Cuiabá.

 

O professor Alfeu foi um dos fundadores da Associação de Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso e o primeiro presidente da Mesa Diretora da Assembleia Geral de Fundação do sindicato, na data de 05/12/1978. Foi também o redator do Primeiro Estatuto da Adufmat-Ssind, que entrou em vigor nos primeiros meses de 1979.

 

Nos anos seguintes, sua atuação no sindicato contribuiu deveras para a garantia dos direitos que conquistamos através da mobilização e luta da categoria.

 

Exatamente no ano em que a entidade completa 40 anos de história, a perda desse importante combatente soa ainda mais significativa e dolorosa.

 

Aos amigos e familiares, nossos sinceros sentimentos e agradecimento à imensa contribuição à luta pelos direitos docentes e da classe trabalhadora.

 

Luiz Alfeu Moojen Ramos, presente!

 

 

Adufmat-Ssind