Sexta, 15 Abril 2016 17:29

ANDES-SN divulga moção em apoio à luta da Reforma Psiquiátrica e do SUS

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

 

O ANDES-SN divulgou, na última sexta (8), uma moção em apoio ao Movimento Nacional de Luta Antimanicomial que luta em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) e da Reforma Psiquiátrica Brasileira. Militantes do movimento antimanicomial - trabalhadores em saúde mental, usuários dos serviços e familiares, ocupam uma sala da coordenação-geral de Saúde Mental do Ministério da Saúde, desde o dia 15 de dezembro de 2015, em protesto a indicação e nomeação do médico Valencius Wurch Duarte Filho para o cargo de Coordenador Geral de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas. 

 

O médico é ex-diretor da Casa de Saúde Doutor Eiras, Paracambi, localizado na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro, fechado por ordem judicial em 2012, após denúncias sobre violações dos Direitos Humanos e das condições subumanas a que os pacientes eram submetidos. Na tarde desta sexta-feira (15) a Polícia Federal está realizando um processo de reintegração de posse na ocupação.

 

Walcyr de Oliveira Barros, 3º tesoureiro do ANDES-SN e um dos coordenadores do Grupo de Trabalho de Seguridade Social e Assuntos de Aposentadoria Sindicato Nacional (GTSSA) do Sindicato Nacional, explica que a moção é em apoio à ocupação e à luta de um movimento que desde os anos de 1970 atua para modificar o cenário da atenção no setor de saúde mental, historicamente usado como um significativo instrumento de lucratividade no mercado da saúde. “Tanto o setor privado de ‘atenção à saúde mental’ quanto as indústrias farmacêuticas vêm lucrando com a ‘loucura’ sistematicamente. Para estes, a loucura passa a ser uma ótima 'matéria prima' para se ganhar dinheiro”, afirma.

 

Para o diretor do ANDES-SN, a nomeação do Valencius, que dirigiu o maior hospício da América Latina, é mais uma prova de que a saúde mental é tratada como mercadoria de alta lucratividade por diversos governos. “Vivemos uma situação de desmonte do serviço público, um processo de privatização e de entrega do fundo público ao espaço financeiro. E a saúde publica e saúde mental, é um mostra disso”, explicou Walcyr, que reafirmou o compromisso do Sindicato Nacional com a defesa da saúde pública, do serviço público e da luta contra qualquer forma de precarização e privatização destes espaços. Ele concluiu ressaltando que, estrategicamente, esse setor vem sendo utilizado para a reprodução desta lógica privatista , através de seu atrelamento ao dispositivo das Organizações Sociais (OS's).

 

 Fonte: ANDES-SN

Ler 600 vezes