Quinta, 17 Setembro 2015 19:39

Professores da UFMT avaliam que não é hora de recuar e pedem radicalização

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

 

Os docentes da UFMT, em assembleia geral realizada nessa quinta-feira, 17/09, aprovaram material encaminhado pelo Comando Nacional de Greve (ANDES-SN) no Comunicado 40, uma nova contraproposta do próprio movimento para tentar avançar nas negociações. Em quase 5 horas de profundo debate, as intervenções demonstraram interesse em radicalizar a greve para forçar o recuo do governo.  

 

A assembleia foi uma verdadeira aula, com diversas análises sobre a conjuntura política, o papel do sindicato e a necessidade de se organizar para defender a universidade pública e de qualidade, uma conquista histórica dos trabalhadores.

 

Depois de apresentar números que comprovam a escolha do governo em preservar as relações com setores econômicos mais fortes e de reproduzir vídeo com as declarações do último dia 14, onde o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, reitera a posição de que a crise deve recair sob os trabalhadores, as avaliações pela radicalização da luta foram unânimes. Divergiu-se, apenas, do método.

 

A proposta derrotada, apresentada como alternativa por um grupo de professores, estudantes e representantes da administração superior, propunha um “acordo de paz” com o governo: a retirada da greve, mediante assinatura de uma agenda de compromissos. Essa proposta obteve 13 votos.

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa do Comando Local de Greve da Agdufmat-Ssind  

Ler 2388 vezes