Sexta, 12 Junho 2020 12:07

NOTA PÚBLICA - Programa de Pós-Graduação em História – PPGHis/UFMT

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

 

****

Espaço Aberto é um canal disponibilizado pelo sindicato
para que os docentes manifestem suas posições pessoais, por meio de artigos de opinião.
Os textos publicados nessa seção, portanto, não são análises da Adufmat-Ssind.
 
****

 

Programa de Pós-Graduação em História – PPGHis/UFMT


O Programa de Pós-Graduação em História vem a público lamentar profundamente os fatos ocorridos durante as transmissões do I Ciclo de Palestras do Vivarium perpetrados por marginais que agrediram covardemente a todos e todas o/as participantes com palavras de baixo calão, compartilhamento de imagens de teor pornográfico, forçando a interrupção momentânea dessa atividade. Tudo leva a crer que tal ataque tenha sido motivado pelo tema abordado por um dos participantes, relacionado à História da África, fato que, infelizmente, tem sido recorrente em outras Instituições. Outro ponto que chamou a atenção foram as “palavras de ordem” dirigidas às pessoas presentes exaltando o simulacro de líder, fascista, cegamente seguido por esses terroristas. O Vivarium - Laboratório de Estudos da Antiguidade e do Medievo é um importante Grupo de Pesquisa da UFMT, referência internacional em sua área, criado e coordenado por docentes ligados ao PPGHis e composto por pesquisadore/as de Instituições de diferentes partes do mundo. O Ciclo de palestras levado adiante nesse momento, é parte das atividades que regularmente são levadas a público por esse grupo. As atividades on line vêm sendo desenvolvidas pelo Programa de Pós-Graduação em História, Departamento de História e pelos Grupos de Pesquisa ao qual pertencem esse/as docentes, como uma alternativa ao isolamento social. Esses ataques terroristas de cunho fascista demonstram o quanto incomodam as atividades regulares em áreas como a educação e a saúde. A “live” do presidente da república em 11 de junho de 2020 incitando seus seguidores a invadirem hospitais é uma demonstração disso. Não existem diálogos ou argumentos, mesmo porque para que assim o fosse, seria preciso um mínimo de capacidade racional; apenas palavras ofensivas, acusações vazias, balbúrdia, para usar um termo caro a esses grupos. Como disse Russel “idiotas cheio de certezas”. Não temos alternativa a não ser repudiar tais atos e resistir. A crescente presença de atividades fascistas visando a destruição das bases do conhecimento, produzindo incertezas e caos social, tem tido no Brasil um terreno fértil e há de ser uma preocupação pessoal para cada um/a de nós. Se nos negarmos a isso, nenhum outro plano futuro fará sentido.
 

 

Ler 1809 vezes