Quinta, 17 Maio 2018 10:03

 

 

Diante da decisão judicial – expedida pelo juiz federal Raphael Casella de Almeida Carvalho, da 8ª Vara Federal Cível da SJMT, em 11 de maio de 2018 – que intima e inclui no polo passivo da ação de reintegração de posse a acadêmica Vitória Cosmo Dias dos Santos, presidente do Centro Acadêmico de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso, sujeitando-a ao pagamento de multa diária de cinco mil reais, por conta da ocupação estudantil que ora ocorre em diversos blocos da Instituição, a Assembleia Geral da ADUFMAT-S.Sindical (Associação dos Docentes da UFMT), por ampla maioria, deliberou aprovar SOLIDARIEDADE à acadêmica acima mencionada.
 
Com a deliberação, a referida assembleia sindical dos docentes reafirma a autonomia da vida universitária, não sem explicitar publicamente que nenhum bloco ocupado pelos acadêmicos foi interditado. Dessa forma, ninguém ficou impedido de entrar ou sair de quaisquer uma das dependências físicas da UFMT.
 
Vale lembrar que o Movimento Estudantil, sensível a todas as atividades da Instituição, paralisou exclusivamente as atividades de ensino de graduação, não inviabilizando as demais atividades acadêmicas, como, por exemplo, a continuidade de quaisquer pesquisas, da realização dos cursos de extensão e trabalhos das pós-graduações.

 
 
 
 

 
Assembleia Geral Extraordinária da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (ADUFMAT).
Cuiabá/MT, 15 de maio de 2018.

 

Terça, 15 Maio 2018 18:17

 

Em assembleia geral realizada nessa terça-feira, 15/05, os professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) decidiram não deflagrar greve e suspender a discussão sobre indicativo, apresentada em assembleias anteriores. Também não foi aprovada a permanência em estado de greve, que representa a construção do movimento paredista com a possibilidade de deflagração em horizonte próximo.

 

Apesar de reconhecer as péssimas condições em que se encontram as instituições públicas de ensino superior, a categoria entendeu que ainda não é o momento de apontar para uma greve local. No entanto, a discussão sobre a construção de uma greve nacional será levada ao ANDES Sindicato Nacional na reunião do Setor das Instituições Federais de Ensino nos próximos dias.

 

Também foi aprovada, na assembleia dessa terça-feira, uma moção de apoio aos estudantes mobilizados na UFMT e solidariedade à estudante do curso de Direito, citada em uma notificação de reintegração de posse.

 

De acordo com a diretora da Adufmat-Seção Sindical do ANDES, Alair Silveira, essas deliberações não significam o recuo do Movimento Docente. “Nós vamos investir num calendário de discussão sobre o que é o orçamento da universidade, e os absurdos que estão colocados, como os contratos com empresas terceirizadas que têm hoje custos muito superiores, se comparados ao que tínhamos há alguns anos. Ou seja, estão privatizando a universidade por meio desses contratos, e a ideia é que os professores entendam isso”, afirmou a diretora.

 

Atualmente, 68% do orçamento da universidade é revertido para empresas terceirizadas por meio de serviços de alimentação, segurança e limpeza.   

 

A decisão dessa assembleia não altera o quadro da universidade: o calendário da graduação continua suspenso, assim como a greve dos estudantes segue unificada e forte. Ainda não há perspectiva de normalização das aulas.  

   

Mais de 344 docentes participaram da assembleia, realizada simultaneamente, por vídeo conferência, nos campi de Cuiabá e Várzea Grande, Sinop e Araguaia. Os números registrados nas votações foram: 47 favoráveis à deflagração de greve, 288 contrários e 9 abstenções; 141 favoráveis ao estado de greve, e 165 contrários; 181 favoráveis à suspensão do indicativo de greve e 100 contrários à suspensão.

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind    

Quinta, 10 Maio 2018 10:40

 

Em cumprimento de decisão da Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 08 de maio de 2018, a Diretoria, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos/as os/as sindicalizados/as para Assembleia Geral Extraordinária a se realizar:
    

Data: 15 de maio de 2018 (terça-feira) 

Local: AUDITÓRIO DA ADUFMAT  

Horário: às 13:30 horas com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14:00 horas, em segunda chamada, com os presentes.
 

Pontos de Pauta:
 
01) Informes;
02) Deflagração de Greve da Categoria Docente – UFMT.

 

 

Cuiabá, 09 de maio de 2018.

Reginaldo Silva de Araujo
Presidente / ADUFMAT SSind

Sexta, 04 Maio 2018 18:08

Em cumprimento de decisão da Assembleia Geral Ordinária realizada no dia 04 de maio de 2018, a Diretoria, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Extraordinária a se realizar:
 
   
Data: 08 de maio de 2018 (Terça-feira) 

Local: AUDITÓRIO DA ADUFMAT  

Horário: às 07:30 horas com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 08:00 horas, em segunda chamada, com os presentes.
 

Pontos de Pauta:
 
01) Informes;
02) Indicativo de Greve da Categoria Docente  UFMT.

 

Cuiabá, 04 de maio de 2018

Reginaldo Silva de Araujo
Presidente / ADUFMAT SSind


 

 

 

Sexta, 04 Maio 2018 14:13

 

 

A Adufmat-Seção Sindical do ANDES Sindicato Nacional realizou mais uma assembleia histórica nessa sexta-feira, 04/05. Pela primeira vez, a sede, em Cuiabá, e as subseções em Sinop e no Araguaia participaram simultaneamente da assembleia, discutindo e deliberando em conjunto, com auxílio de equipamento de videoconferência. Diante da conjuntura, a primeira experiência foi marcada também pela sugestão de indicativo de greve da categoria.

 

Durante a análise de conjuntura, os docentes dialogaram sobre os cortes de recursos que já estão comprometendo as atividades da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). “A Reitoria perdeu a oportunidade de fazer debates mais qualificados no ano passado”, afirmou o presidente da Adufmat-Ssind, Reginaldo Araújo, lembrando que o sindicato solicitou por diversas vezes que a administração respondesse em que setores os cortes realizados pelo governo federal refletiriam dentro da instituição.

 

Com relação a proposta de alteração na política de alimentação, os docentes aprovaram a não participação na comissão formada pela Reitoria para debater sua proposta de aumento; a convocação, pela Adufmat-Ssind, de uma audiência pública para debater com base nos dados levantados pela comunidade docente – avaliando, inclusive, o contrato com a empresa que presta serviços ao Restaurante Universitário; e apoio aos estudantes à solicitação de suspensão do calendário acadêmico na reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) marcada para a próxima segunda-feira, 07/05.  

 

“A gente pensou num calendário importante de luta, considerando, inclusive, a possibilidade de entrar em greve. Os companheiros de Sinop apontaram essa alternativa, e houve ressonância em outros campi, entre companheiros que demonstram disposição para discutir a possibilidade de greve docente. Claro que é uma novidade, não estava em pauta, mas a proposta está muito ligada às nossas condições de trabalho, em diálogo com os riscos de privatização da universidade”, afirmou Araújo.

 

A Adufmat-Ssind convocará nova assembleia na próxima semana para debater o indicativo de greve.

 

Interação por videoconferência

 

A primeira assembleia interativa da Adufmat-Ssind atende a uma demanda da categoria, prevista inclusive no Regimento aprovado em dezembro do ano passado. “Essa assembleia marca um outro momento da organização docente na UFMT, que é a possibilidade dos colegas lotados em Sinop e no Araguaia intervirem nas assembleias de forma interativa, assim como que as nossas manifestações dialoguem diretamente com os companheiros. Claro que a gente percebe que a estrutura eletrônica ainda tem de ser aperfeiçoada de acordo com as nossas necessidades, mas sem dúvida essa assembleia representa um marco histórico nesse sentido”, avaliou o presidente do sindicato.

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Segunda, 30 Abril 2018 12:10

A Diretoria no uso de suas atribuições regimentais convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária a se realizar:
 
 
Data: 04 de maio de 2018 (sexta-feira) 

Local: AUDITÓRIO DA ADUFMAT  

Horário: às 07:30 horas com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 08:00 horas, em segunda chamada, com os presentes.
 

Pontos de Pauta:
 
01) Informes;
02) Análise de Conjuntura;
03) Cortes Orçamentários das Instituições Federais de Ensino e o Restaurante Universitário (RU) da UFMT.



 
Cuiabá, 30 de abril de 2018.
 
 
 
Reginaldo Silva de Araujo
Presidente / ADUFMAT SSind

 

Sexta, 13 Abril 2018 19:17

 

Em assembleia geral realizada nessa sexta-feira, 13/04, no auditório da Adufmat-Seção Sindical do ANDES, os docentes da Universidade Federal de Mato Grosso discutiram a conjuntura política nacional e internacional, e as alternativas para atuação dos trabalhadores organizados.

 

A avaliação, de modo geral, é de que a sombra do autoritarismo já está instalada no país, de forma diferenciada das conhecidas em outros períodos históricos. Universidades punindo estudantes que participam de manifestações, docentes questionados por seus objetos de estudos políticos e a ascensão de grupos fascistas são alguns dos elementos que evidenciam isso.

 

Na UFMT, em particular, as imposições de um modelo de sociedade rejeitado pela maioria da população são refletidas pela intenção de implementar disciplinas de empreendedorismo em todos os cursos, entre outras medidas encaminhadas atualmente pela administração da universidade, atendendo aos interesses neoliberais em âmbito nacional e internacional.  

 

O debate também foi bastante reflexivo com relação a atuação do Movimento Docente. Nesse sentido, duras intervenções problematizaram acordos da categoria com insígnias do tipo “Fora Temer” ou mesmo o reconhecimento de que a derrocada do governo petista se deu por meio de um golpe. “Aderir ao Fora Temer foi um equívoco, porque a frase deseduca, faz parecer que o problema é o Temer e não o projeto de sociedade que ele ou quem quer que seja faça avançar”, afirmou a professora Alair Silveira.  

 

Para o professor Carlos Sanches, há um imbróglio por parte dos movimentos sociais que dialogam com governos que se dizem de esquerda, mas que se contradizem na prática. De acordo com o docente, a categoria não deve participar de nenhuma movimentação de cunho eleitoral, e sim realizar críticas mais profundas ao sistema vigente. “Por que nós não realizamos, por exemplo, campanhas massivas em defesa do voto nulo?”, questionou.

 

Para o professor Maelison Neves, um dos grandes desafios para os trabalhadores é justamente escapar das armadilhas do processo eleitoral. “Nós não teríamos condições de enfrentar o neoliberalismo dessa perspectiva, mesmo que elegêssemos alguém. Esse momento é de trabalho de base, de ir para as ruas, circular as palavras, transformar as consciências e disputar a concepção de sociedade sem ilusões’, afirmou.

 

Na avaliação da categoria, o Partido dos Trabalhadores tem grande responsabilidade sobre o desencantamento, a desconfiança e o descrédito que, inclusive, causam esvaziamento dos espaços de discussão política.

 

Por esse motivo, os docentes destacaram a necessidade de que as duas chapas que disputam a direção do ANDES Sindicato Nacional este ano se posicionem e apontem, de maneira crítica e contundente, quais caminhos desejam percorrer com a categoria para reorganizar a luta dos trabalhadores. Os docentes reconheceram que a unidade tática é necessária, no entanto, é preciso atentar para as estratégias.

 

Encaminhamentos

 

Após longo debate, os presentes encaminharam: a elaboração de uma campanha denunciando os partidos políticos que aprovaram a Contrarreforma Trabalhista, a Terceirização, a Emenda Constitucional do Teto de Gastos (EC 95/16), entre outros projetos que retiram direitos, para que esses partidos percam os trabalhadores de suas bases eleitorais; que a diretoria da Adufmat-Ssind deve consultar a comissão que ficou responsável por dialogar com o escritório de Contabilidade do sindicato com relação a desencontros na prestação de contas da gestão anterior, inserindo, caso não haja avanço nos trabalhos da comissão, a questão como ponto de pauta na próxima assembleia; e promover um debate entre as chapas que disputam a diretoria do ANDES-SN em 2018. Além disso, por sugestão do professor Tomás Boaventura, a diretoria da Adufmat-Ssind deve intensificar os informes para a base sobre eventos nacionais, comunicando no início das assembleias gerais a agenda de atividades e eventos próximos.

 

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Terça, 10 Abril 2018 18:11

 

 

 

Por força de auto convocação da Assembleia Geral Ordinária realizada no dia 10/04/18, a  Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Extraordinária a se realizar:
 
Data: 13 de abril de 2018 (sexta-feira) 

Local: AUDITÓRIO DA ADUFMAT-Ssind  

Horário: às 14h  com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h30, em segunda chamada, com os presentes.
 
Pontos de Pauta:
 
01) Informes;
02) Análise de Conjuntura;
 
 
  
 

 
Cuiabá, 10 de abril de 2018.
 
 
 
Reginaldo Silva de Araujo
Presidente / ADUFMAT SSind

 

Terça, 10 Abril 2018 17:10

 

Os professores da Universidade Federal de Mato Grosso, reunidos em assembleia geral realizada na manhã dessa terça-feira, 10/04, na Adufmat – Seção Sindical do ANDES, debateram e deliberaram sobre a obrigatoriedade de entrega de relatório político para atividades custeadas pelo sindicato, a agenda 2018 distribuída aos sindicalizados, a recomposição dos conselhos Fiscal e de Ética, elaboração de ação jurídica para evitar ajustes abusivos por parte do plano de saúde GEAP, auditoria financeira 2007-2017 da subseção da ADUFMAT no Araguaia, entre outros assuntos.

 

A discussão sobre a obrigatoriedade de entrega de relatório político para atividades custeadas pelo sindicato girou em torno do caráter do documento. “Relatório da atividade já é feito pelo ANDES, com a participação de todos os representantes enviados pelas seções sindicais”, defendeu o professor José Domingues Godoi.

 

Após longo debate, os participantes entenderam que os relatórios individuais também são importantes. “Esses relatórios vão trazer avaliações pessoais dos eventos, diferente dos emitidos pelo ANDES. Além de contribuir politicamente, eles vão constar no relatório da gestão, identificando as atividades nas quais o sindicato esteve presente”, explicou a diretora da Adufmat-Ssind, Alair Silveira.

 

Dessa forma, fica mantida a obrigatoriedade de entrega de relatório político individual a todos os participantes de eventos custeados pelo sindicato, assim como a exposição na assembleia posterior ao evento, e participação efetiva na efetivação dos encaminhamentos aprovados.

 

O ponto de pauta sobre a agenda da Adufmat-Ssind 2018 - edição comemorativa dos 40 anos, reivindicado pelo professor Tomás Boaventura, também rendeu longo debate. Para o docente, o material não cumpre o papel de retratar o percurso histórico da Adufmat-Ssind, mas de promoção da diretoria atual. Assim, Boaventura sugeriu que a gestão devolvesse o valor correspondente ao gasto com as agendas, proposta rejeitada pela plenária.

 

A discussão, entretanto, voltou-se para as necessidades de melhoria na política de comunicação do sindicato, e os presentes terminaram por encaminhar a retomada do Grupo de Trabalho de Comunicação e Artes (GTCA) local - estrutura organizativa do ANDES Sindicato Nacional, reproduzida pelas seções sindicais em todo o país. À exemplo de outros Grupos de Trabalho, o GTCA já foi estruturado anteriormente na Adufmat-Ssind.

 

Os professores aprovaram ainda a recomposição dos conselhos Fiscal e de Ética, com a substituição dos docentes Sinthia Batista (Fiscal) e Luan Kramer (Ética) pelas professoras Maria Luzinete Vanzeler e Marluce de Souza e Silva, respectivamente. O professor Waldir Bertúlio se propôs a fazer parte do Conselho de Ética, caso haja desistência por parte da professora Marluce.

 

Em seguida, a categoria discutiu e deliberou pela elaboração de ação judicial para evitar ajustes abusivos do Plano de Saúde GEAP, e escolheu o escritório que fará a auditoria nas contas da subseção da Adufmat-Ssind no Araguaia de 2007 a 2017. Após a apresentação de três propostas de trabalho e seus valores, os presentes decidiram contratar os serviços da Salgueiro e Motta Assessoria Tributária e Auditoria.

 

Por solicitação do professor Carlos Sanches, a plenária aprovou também que a situação do ex-presidente da Adufmat-Ssind com relação a suspensão do pagamento dos 28,86% siga, documentada, para a Comissão criada pelo ANDES Sindicato Nacional para acompanhar casos de assédio, perseguição política e repressão aos docentes do ensino superior.    

 

Devido ao horário adiantado, o debate sobre conjuntura foi adiado e será realizado em nova assembleia geral que será convocada para a próxima sexta-feira, 13/04.   

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind 

 

Sexta, 06 Abril 2018 18:35

 

 

A Diretoria no uso de suas atribuições regimentais convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária a se realizar:
 
 
Data: 10 de abril de 2018 (terça-feira) 

Local: AUDITÓRIO DA ADUFMAT  

Horário: às 07h30 com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 8h, em segunda chamada, com os presentes.

 

Pontos de Pauta:
 
01) Informes;
02) Obrigatoriedade de entrega de relatório político para atividades custeadas pela ADUFMAT;
03) Agenda impressa 2018 - ADUFMAT;
04) Análise de Conjuntura;
05) Recomposição do Conselho Fiscal;
06) Recomposição da Comissão de Ética;
07)  Plano de Saúde GEAP – Ação Jurídica;
08) Auditoria financeira 2007-2017 da sub-seção ADUFMAT – Araguaia.

 

Cuiabá, 06 de abril de 2018.
 
 
 
Reginaldo Silva de Araujo
Presidente / ADUFMAT SSind