Sexta, 23 Fevereiro 2024 20:14

 

 

Nesta sexta-feira, 23/02, a Adufmat-Ssind realizou a primeira assembleia geral ordinária do ano. Os pontos de pauta, conforme a convocação, foram: Informes, Análise de Conjuntura, Recomposição da Representação docente na Comissão de Consulta para Reitoria da UFMT e Mobilização do 8 de Março.   

 

Durante o ponto de pauta Informes, a Diretoria do sindicato lembrou que o 42º Congresso do Andes começa na próxima semana, em Fortaleza - CE, e a Adufmat-Ssind será representada por 10 docentes que foram eleitos em assembleia realizada em novembro.

 

A diretora Adriana Pinhorati falou, ainda, que o Grupo de Trabalho de Seguridade Social e Assuntos de Aposentadoria (GTSSA) participou do 9º Fórum Mundial da população idosa de forma online. O relatório elaborado pelos participantes será divulgado pelo sindicato.

 

A professora Clarianna Silva, também diretora da Adufmat-Ssind, falou sobre a mobilização em defesa da proposta de Progressão Funcional elaborada pela categoria dentro sindicato. Segundo a docente, foram 22 reuniões com unidades acadêmicas que demonstraram apoio, no sentido de que a minuta do sindicato seja, ao menos, apreciada pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe). O sindicato enviou ofício ao Conselho pedindo direito à fala e recebeu resposta de que o pleno vai avaliar o pedido, durante a reunião que debaterá exclusivamente a Progressão Funcional, prevista para março. “Esse foi o mesmo encaminhamento que a secretaria do Consepe tinha anunciado anteriormente, mas na data programada a presidência da mesa sequer avaliou a possibilidade. Mas nós temos, novamente, essa perspectiva, de que dessa vez a gente consiga apresentar a minuta”, afirmou Silva.

 

A docente destacou, entretanto, que uma outra convocação de reunião do Consepe trouxe questão relacionada ao Relatório de Eletrônico Anual, pois, na sua compreensão, essa é uma atividade também relacionada à Progressão e não deveria ter o debate antecipado ao da própria minuta de Progressão Funcional.

 

A diretora geral adjunta, Lélica Lacerda convite às mulheres para construir um 8 de Março (Dia Internacional de Luta das Mulheres) combativo para derrotar o fascismo nas ruas. “Há um acúmulo interessante construído com companheiras do MST, indígenas e imigrantes. No dia 07 haverá um debate sobre conjuntura na Adufmat-Ssind, para agente entender como as distintas forças de mulheres estão enxergando e compreendendo o contexto”, explicou. Há uma programação sendo fechada pelas organizadoras que será divulgada em breve para a participação da categoria. Entre as atividades previstas estão um sarau, manifestações e adesivaço.  

 

Por fim, o diretor Maelison Neves informou que ainda faltam dois debates entre os candidatos que disputam a Reitoria da UFMT, nos dias 26/02 e 04/03 (saiba mais aqui). O primeiro turno da eleição será no dia 06/03.

 

O professor Aldi Nestor, da base do sindicato, fez informe sobre decisão da Câmara de Extensão que ocorreu em 14/12/23, alterando o fluxo dos projetos de extensão, que historicamente começam nos Departamentos, seguem para as Congregações e, por último, são avaliados pela Câmara de Extensão. “Na compreensão do Departamento de Matemática, essa inversão, começando pela Câmara, interfere na autonomia dos departamentos. A primeira proposta do nosso departamento, depois disso, foi reprovada pelo parecerista sem que o departamento pudesse fazer qualquer tipo de esclarecimento”, disse o docente. O Departamento de Matemática recorreu contra esta inversão no Consepe e, segundo o professor, caso a decisão seja negativa, a unidade recorrerá também à Adufmat-Ssind.     

 

Análise de Conjuntura

 

O professor Aldi Nestor de Souza iniciou o ponto de pauta Análise de Conjuntura destacando três fatos recentes: a chegada de máquinas agrícolas para a Agricultura Familiar em convênio entre o Governo brasileiro e fabricantes chineses o que, segundo o professor, demonstra um grande problema de falta de políticas nacionais para o setor; a expansão do Fies, programa que destina recursos públicos para instituições privadas de ensino superior, que fez os conglomerados econômicos de educação superior comemoraram o aumento de suas ações na bolsa no mesmo dia do anúncio; e o programa “Pé de meia” do Governo Federal, uma escala de pagamento para estudantes do ensino médio, uma política equivocada para reduzir a evasão escolar, segundo o docente.

 

Esses três alertas mobilizaram as análises de outros docentes, que elencaram diversos exemplos acerca de como a universidade pública está ausente dos debates de interesse nacional e que recaem, inclusive, sobre ela mesma.

 

“São questões relevantes que dizem respeito à formação dos estudantes que vão entrar na universidade, e que a essas instituições estão afastadas. A universidade está perdendo até campo de estágio, nós temos que disputar edital de campo de estágio para a licenciatura”, disse a professora Iramaia Cabral.

 

A professora Alair Silveira destacou, entre outras coisas, o fato de que o mesmo Governo não avança nas negociações com os servidores públicos sobre carreia e salários, e o professor Maelison Neves concordou que as políticas nacionais adotadas pelos governos impactam diretamente nas funções dos cientistas, dos produtores de conhecimento, isto é, dos professores e também dos estudantes universitários.

 

Ao mesmo tempo, as pessoas se mostram cada vez menos preocupadas em avaliar tudo o que está acontecendo, observaram outros docentes. “O esvaziamento político e o distanciamento da consciência de classe chegou ao ponto de não conseguirmos chamar o autoritário de autoritário e o genocida de genocida. O fascismo está se tornando o senso comum, a ponto de professor ser perseguido por estar dando aula sobre darwinismo e não evolucionismo”, disse a professora Lélica Lacerda.

 

Não houve nenhum encaminhamento após o debate deste ponto de pauta.     

 

Recomposição da representação docente na Comissão de Consulta para a Reitoria

 

Diante da renúncia formal de três docentes da Comissão de Consulta para a Reitoria da UFMT e da participação ativa de apenas dois professores, a diretoria convocou assembleia para recompor a representação.

 

Após algumas considerações e esclarecimentos sobre o Regimento da Consulta aprovado pelas entidades, foram indicados os professores Aldi Nestor de Souza, como titular, e Irenilda Santos e Denilton Gaio, como suplentes, no lugar dos professores José Domingues de Godoi Filho, Maria Salete Ribeiro e Gleyva Oliveira.  

 

Mobilização do 8 de Março

 

Recursos para atividades do 8 de Março, entre atos, festividades e debates em conjunto com o Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST). A ideia das atividades em conjunto, segundo a diretora Lélica Lacerda, é promover, também, a humanização do movimento, atacado por discursos de ódio que aumentaram durante os últimos anos.  O valor aprovado foi de R$ 7 mil.  

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Segunda, 19 Fevereiro 2024 15:04

 

A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária PRESENCIAL a se realizar:

Data: 23 de fevereiro de 2024 (sexta-feira)

Horário: 13h30 (Cuiabá) com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h, em segunda chamada, com os presentes.

Pontos de Pauta:

1 - Informes;
2- Análise de Conjuntura;
3- Recomposição dos representantes docentes na Comissão de Consulta Informal à Reitoria UFMT;
4 – Mobilização do 8 de Março.

 

A Assembleia será presencial e ocorrerá simultaneamente no auditório da sede de Cuiabá e nos campi do Araguaia e SINOP.



 
 
Cuiabá, 19 de fevereiro de 2024

Gestão Colegiada Lutar e Mudar as Coisas nos Interessa Mais

Sexta, 24 Novembro 2023 16:06

 

Na próxima segunda-feira, 27/11, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), deve apreciar a minuta proposta pela administração da universidade de Progressão Funcional. Por isso, nesta sexta-feira, 24/11, a categoria aprovou, em assembleia geral, o encaminhamento de uma proposta alternativa para apreciação dos conselheiros.  

 

A Adufmat-Ssind pontuou uma série de questões da proposta, especialmente a manutenção da lógica produtivista. “Não dá para fazer um debate de Progressão Funcional desacoplado, por exemplo, dos encargos docentes, da Resolução 158/10”, afirmou a professora Clarianna Silva, diretora secretária do sindicato.

 

A assembleia geral desta sexta-feira foi convocada extraordinariamente, conforme decisão da assembleia anterior, realizada em 21/11. Na ocasião, os presentes decidiram trabalhar em cima de documento já elaborado pela Diretoria, de acordo com todo o debate já acumulado sobre o tema. A proposta de minuta avaliada pela plenária, base do texto que será apresentado ao Consepe na próxima semana, foi amplamente divulgado pelo sindicato logo após a convocação da assembleia (leia aqui).     

 

Uma conclusão importante desta assembleia foi de que, legalmente, ainda não é possível a progressão de forma automatizada, como o sindicato havia defendido anteriormente. Ainda é preciso que o servidor solicite o acesso ao direito. No entanto, a direção apontou alternativas que incluam um sistema integrado, com informes antecipados ao docente, para que ele possa encaminhar o que for necessário, de forma simplificada.  

 

Após a leitura da minuta e de uma introdução da mesma, seguida de debate sobre cada apontamento dos presentes na sede e subsedes da Adufmat-Ssind, foi aprovado o documento, que será disponibilizado na íntegra ainda nesta sexta-feira, por e-mail e outros canais oficiais do sindicato, após as correções pertinentes (clique no arquivo anexo abaixo para baixar o documento na íntegra). 

 

O documento também será entregue a todos os conselheiros do Consepe. 

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Quinta, 23 Novembro 2023 08:23

*Publicação atualizada às 15h do dia 23/11 para inclusão da minuta que será apreciada na assembleia 

 

A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Extraordinária PRESENCIAL a se realizar:

Data: 24 de novembro de 2023 (sexta-feira)

Horário: 13h30 (Cuiabá) com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h, em segunda chamada, com os presentes.

 

Pauta única: Progressão Funcional (clique aqui para ler a Minuta que será apreciada)

 

 

Cuiabá, 23 de novembro de 2023.
 
Gestão Colegiada Lutar e Mudar as Coisas nos Interessa Mais

Quarta, 22 Novembro 2023 09:09

 

A Assembleia Geral da Adufmat-Ssind., realizada nesta terça-feira, 21/11, elegeu a delegação que representará o sindicato no 42º Congresso do Andes-SN, que ocorrerá em Fortaleza-CE, entre os dias 26/02 a 01/03, e aprovou ações em defesa de melhorias para acesso ao direito à Progressão Funcional.

 

O ponto de pauta Progressão Funcional foi inserido no início da assembleia, a pedido da Diretoria e aprovado por unanimidade pelos presentes, tanto na sede quanto nas subsedes de Sinop e Araguaia.

 

Durante os informes, a primeira questão foi a mobilização do dia 16/11, quando houve reunião entre os servidores públicos federais e o Governo sobre a pauta salarial (leia aqui); Cuiabá foi uma das capitais em que houve manifestação, em frente ao prédio do Ministério de Gestão e da Inovação em Serviços Públicos.

 

Pelo Andes-Sindicato Nacional, o professor Breno dos Santos trouxe mais detalhes sobre as negociações, que incluem também melhorias na carreira, além da recomposição salarial. O docente afirmou que o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) está construindo uma nova agenda de mobilizações, com audiência da Câmara dos Deputados no dia 27/11, dia de luta nos estados e Live Unificada do Fórum no dia 28/11, rodada de assembleias e mobilizações entre os dias 11 e 15/12 - quando os servidores preveem a última mesa de negociação do ano. No dia 16/11 haverá reunião do Setor das Federais no Andes-SN. Na última reunião, o Governo se comprometeu, apenas, a avaliar a possibilidade de revogar a Instrução Normativa 66/22, que impõe obstáculos aos processos de Progressão.

 

Sobre o direito a 30 dias corridos de férias, o sindicato havia solicitado à Reitoria a revisão, pelo próprio Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), da decisão tomada anteriormente de dividir o período de descanso. A Reitoria respondeu, afirmando que consultou a Procuradoria e a Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Projep), que defenderam a manutenção da decisão sob o argumento de que dividir as férias seria uma questão de interesse público. Com base neste mesmo argumento, a Justiça negou o pedido de liminar feito pela Adufmat-Ssind. para suspender a decisão até o julgamento do mérito. A Assessoria Jurídica do sindicato tomará providências com relação a isso.  

 

Outro informe teve relação com os 28,86%. O diretor geral do sindicato, Maelison Neves, afirmou que é mentira que a Adufmat-Ssind tenha feito qualquer acordo com a Reitoria da universidade pelo não pagamento do percentual. “A gente até tentou fazer greve”, lembrou o diretor geral Maelison Neves, ao desmentir o boato. A categoria continua aguardando os trâmites judiciais referentes ao processo.    

 

A professora Luciane Gomes relatou que foi delegada da Etapa Regional da Conferencia Nacional de Educação, entre os dias 16 e 17/11, representando a UFMT. De acordo com a docente, o evento foi tranquilo para apresentação das demandas que estão de acordo com o projeto de educação que o sindicato acredita e tenta construir cotidianamente. No entanto, alertou que o bolsonarismo descobriu os espaços de participação popular, como conselhos, conferências, e têm tentado aprovar suas propostas também.

 

Análise de conjuntura

 

Neste ponto de pauta, o professor Aldi Nestor de Souza iniciou as reflexões com duas observações: a primeira sobre a realização de aulas magnas dentro da Universidade Federal de Mato Grosso cada vez mais desconectadas dos assuntos que realmente interessam aos estudantes que estão entrando na instituição. Se na recepção passada, as aulas foram sobre educação financeira, as deste semestre letivo tiveram início com a participação de um humorista. “Não tenho nada contra o humorista, mas diante de inúmeros problemas que assolam a universidade, haveriam outras formas de receber esses estudantes”, pontuou.

A segunda observação foi a eleição de Javier Milei, representante da extrema direita, na Argentina. “A classe trabalhadora ainda consegue cair nessa conversa fiada, velha e batida, que é a privatização e retirada de direitos”, comentou, lembrando que ao contrário do Brasil, a Argentina conseguiu avanços sociais admiráveis, como a aprovação da Reforma Universitária de Córdoba, uma referência internacional, além de colocar no banco dos réus os militares que fizeram uma das ditaduras mais sanguinárias da América Latina.

 

As provocações de Souza incentivaram os presentes. As manifestações para tentar explicar o fenômeno argentino foram desde a leitura de falta de perspectiva até a análise de que a chamada “direita” tem se mostrado mais radical na crítica ao modelo atual de sociedade do que a própria “esquerda”, que foi tomada pelas práticas de conceções, acordos e composições.  

 

Não houve encaminhamentos com relação à conjuntura.

 

Eleição de delegados para o 42º Congresso do Andes-SN

 

Após acordarem sobre a metodologia para escolha dos representantes da delegação, foram indicados diretamente os professores Clarianna Silva (subseção de Sinop), Valéria Márcia de Queiroz (subseção do Araguaia) e Ana Paula Sacco, diretora de Comunicação (pela Diretoria). Os demais nomes, indicados por votação, foram - seguindo a ordem de maior número de votos: José Ricardo Souza, Alair Silveira, Luciane Gomes, Raquel Brito, Geruza Vieira, Luzinete Vanzeler e Onice Dall’Oglio, como delegados, e Robson Lopez, José Domingues de Godoi Filho, Marlene Menezes, Everton Botan e Jane Vignado, como observadores.

 

Progressão Funcional

 

Neste ponto de pauta, a professora Clarianna Silva alertou, novamente, para o perigo de aprovação da minuta de progressão funcional apresentada ao Consepe. A próxima reunião está agendada para segunda-feira (27). Nesse sentido, a docente, que também é diretora secretária do sindicato, voltou a propor a apresentação de um documento alternativo.

 

O sindicato já elaborou um documento, construído pelas diretoras Lélica Lacerda e a própria Clarianna Silva, com base em todo o acúmulo de debates já realizados pela categoria sobre o tema. Ficou decidido, assim, que o sindicato disponibilizará este documento com urgência via e-mail, e voltará a debater a questão em assembleia extraordinária que deverá ser convocada para a próxima sexta-feira (24).

 

As principais críticas acerca da proposta que está no Consepe estão relacionadas à lógica produtivista adotada pela administração da universidade, que apesar de limitar o preenchimento do Plano Individual de Atividades (PIA) a 40h, não respeita esse “limite” para garantir o direito à Progressão Funcional, exigindo trabalho extrapor meio de “pontos”.  

 

Além disso, foi aprovada a elaboração de uma matéria corrigindo o reitor Evandro Soares, no sentido de que a Adufmat-Ssind nunca barrou a discussão sobre os encargos docentes (Resolução 158/10), mas sim a discussão fora do Conselho competente. “O reitor tem dito repetidamente que a Adufmat barrou a discussão sobre a 158. Isso não aconteceu em momento nenhum. O que a Adufmat barrou foi a patrolagem da Reitoria”, explicou o professor Leonardo Santos, ex-diretor da Adufmat-Ssind e proponente da matéria.

 

Também ficou aprovado que o sindicato deve restabelecer o debate sobre a Resolução 158/10.

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Quinta, 16 Novembro 2023 15:06

 

 
A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária PRESENCIAL a se realizar:

Data: 21 de novembro de 2023 (terça-feira)

Horário: 13h30 (Cuiabá) com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h, em segunda chamada, com os presentes.

 
Pauta:
 
1) Informes;

2) Análise de conjuntura;

3) Eleições dos/as delegados/as para o Congresso do Andes.  


A Assembleia será presencial e ocorrerá simultaneamente no auditório da sede de Cuiabá e nos campi do Araguaia e SINOP.


 
 
Cuiabá, 16 de novembro de 2023.

Gestão Colegiada Lutar e Mudar as Coisas nos Interessa Mais

 

Quarta, 08 Novembro 2023 10:39

 

 

Conforme edital de convocação publicado no dia 01/11, a Adufmat-Ssind realizou, nesta terça-feira, 07/11, nova Assembleia Geral para debater e encaminhar questões de interesse da categoria docente da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

 

Após a aprovação da pauta, a Diretoria informou sobreatividades de reivindicação salarial nos dias 07, 08 e 16/11 (leia aqui), e também sobre a disponibilização do calendário de debates entre os candidatos à Reitoria da UFMT, previstos para os dias 28/11 (Cuiabá), 30/11 (Araguaia), 05/12 (Várzea Grande), 07/12 (Sinop) e 11/12 (HUJM). Essas e outras informações sobre a Consulta Informal estão disponíveis em aba específica do site do sindicato.   

 

Além disso, a Diretoria falou que a comissão organizadora do Baile dos Professores 2023 ficou insatisfeita com alguns itens e se reuniu com a empresa para revisar o valor do contrato, solicitando a devolução de 20% dos gastos por quebra contratual. As partes ainda estão em negociação, mediada pela Assessoria Jurídica do sindicato.  

 

O professor José Domingues de Godoi lembrou que o dia 04/11 foi o Dia Mundial de Apoio ao Povo Palestino e que houve um ato na Praça 08 de Abril. Na ocasião, a comunidade muçulmana de Cuiabá convidou a Adufmat-Ssind para compor o Comitê local de Solidariedade ao Povo Palestino.  

 

A professora Luciane Gomes convidou os presentes para reunião do Grupo de Trabalho Políticas Educacionais (GTPE) no dia 08, às 18h, que debaterá, entre outros assuntos, o Projeto de Lei do Novo Ensino Médio (PL 5230/23). O debate será no formato online (clique aqui para mais informações).  

 

Análise de conjuntura

 

Não houve debate sobre a conjuntura, mas o professor José Domingues de Godoi Filho propôs, e foi aprovada, a realização de debate, no formato híbrido, com o objetivo de compreender a conjuntura internacional. “Nós temos problemas graves, muito próximos da situação que antecedeu a Segunda Guerra Mundial”, alertou o proponente.

 

Regimento eleição Araguaia

 

Neste ponto de pauta, a professora Ana Paula Sacco, diretora da Adufmat-Ssind e membro da comissão eleitoral local, apresentou a minuta de Regimento, baseada na mesma proposta utilizada pelo sindicato na última eleição – que não contemplou a subseção do Araguaia porque não houve chapa inscrita. 

 

Com algumas alterações, foi aprovado o documento, que será publicado nesta quarta-feira (08/11), data prevista para abertura do processo eleitoral. O calendário prevê, ainda, o dia 21/11 como data limite para inscrição das chapas, campanha entre os dias 23 e 28/11 e eleição no dia 29/11.

 

Progressão funcional

 

A professora Clarianna Silva, diretora da Adufmat-Ssind, abriu o ponto de pauta sobre “progressão funcional” relatando que a proposta enviada ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) está desacoplada da Resolução 158/10 (encargos docentes). Por esse motivo, apresenta uma série de problemas, começando pela lógica é produtivista.  “É uma proposta bem diferente, se comparada a outras progressões, de outras universidades. Pude verificar isso porque eu pedi e o Andes – Sindicato Nacional me forneceu o material”, afirmou a diretora. A professora relatou, ainda, que os debates não estão sendo feitos como deveriam na universidade, e as reuniões online do Consepe não dão conta de garantir as necessárias reflexões, devido ao sistema, mas também ao atropelo, e algumas vezes até cerceamento, como a própria Adufmat-Ssind já denunciou.

  

O sindicato já alertou, também, sobre outros problemas da progressão funcional utilizada atualmente e que a nova proposta ainda não sana, como a penalização das mães que reivindicam o direito à licença maternidade e de todos os docentes que precisam utilizar o direito à licença doença (saiba mais aqui).

 

A professora Alair Silveira também observou problemas relacionados à realização das reuniões de forma online. “Na última reunião nós tivemos vários problemas. Iniciamos com atraso por falhas do próprio sistema. Depois, minha internet e de outros conselheiros ficaram instáveis, provavelmente por conta do tempo. Várias pessoas estavam reclamando no chat e, por último, quando eu comecei a reclamar mais incisivamente, ‘quis a natureza’ que meu microfone fosse desligado”, contou.

 

Os debates trouxeram, ainda, outros pontos de recorrente atenção dentro do sindicato, como a existência de Planos Individuais de Atividade (Pias) que não registram a realidade do trabalho realizado, pois não admite o registro de mais de 40h de atividades e, assim, maquiam a necessidade de abertura de novos concursos. Conforme análise de alguns dos presentes, essa forma de preenchimento das atividades representa uma forma de assédio aos professores.

 

Para a professora Clarianna Silva, é preciso intervir politicamente e rapidamente. “A gente precisa fazer o embate político, e cabe à essa assembleia dar o tom e decidir o que a gente tem que fazer”, enfatizou.

 

Ao final do debate, foram encaminhados: a formação de uma comissão para criar uma minuta alternativa à apresentada no Consepe até o final de novembro; a rearticulação do GT Carreira para debater a questão; solicitação de parecer jurídico sobre a minuta apresentada no Consepe e avaliação jurídica do fato de os docentes afastados por direito não conseguirem progredir; avaliação jurídica do Regimento do Consepe que determina a realização de reuniões presenciais; construção de evento político de denúncia em relação a progressão e outros ataques aos direitos.

 

 

Prestação de contas

 

O ponto de pauta “Prestação de Contas” foi, na verdade, uma apresentação do balanço financeiro e não prestação de contas, explicou o diretor geral, Maelison Neves.  

 

De início, os números foram apresentados pela diretora-tesoureira, Adriana Pinhorati. Em seguida, Maelison Neves projetou alguns gráficos, demonstrando redução na arrecadação do sindicato ao longo dos últimos anos e aumento das despesas, especialmente após a pandemia.

 

Após a apresentação, alguns presentes reclamaram a necessidade de mais elementos para melhor avaliação da questão, com maior profundidade.

 

No entanto, houve acordo no sentido de que além das desfiliações, a categoria passou seis anos sem reajustes salariais e, portanto, sem reajustes significativos das contribuições sindicais, enquanto as condições de vida aumentaram.

 

Houve uma variação de quase 300 sindicalizações entre 2018 e 2022, mas o número de sindicalizados está voltando a aumentar. Uma das práticas observadas foi a suspensão do pagamento da contribuição sindical por meio do aplicativo Sigepe.   

 

Por esse motivo, os presentes sugeriram que a Diretoria pense algumas alternativas, como aplicar prazos para compra das passagens para participação nos eventos, reforçar as campanhas de sindicalização, repensar algumas despesas fixas, adquirir cartão de crédito coorporativo exclusivo para compras de passagens, para utilizar parcelamento e programas de milhas, entre outras.

 

A diretoria pontuou, ainda, a necessidade de suspender o envio de docentes para atividades nacionais de Grupos de Trabalho, ao menos este ano, e se comprometeu a finalizar um planejamento, já em elaboração, para o exercício financeiro de 2024.    

 

Todas as informações dos gastos da Adufmat-Ssind estão disponíveis no site da entidade (clique aqui).  

 

Composição de novo conselho fiscal

 

Durante este ponto de pauta, os presentes destituíram os conselheiros da gestão 2017-2019, formado pelos docentes Dorival Gonçalves, Juliana Ghisolfi e Maria Luzinete Vanzeler, e aprovaram a formação de uma Comissão. Como debatido em assembleias anteriores, os conselheiros citados analisaram as contas mensais, mas não entregaram o relatório final, impedindo o avanço da aprovação de contas da então gestão e também das seguintes.    

 

Os professores Aldi Nestor de Souza, Reinaldo de Marchi e Djeison Benetti se colocaram à disposição para a nova formação do Conselho Fiscal e a plenária deferiu seus nomes. A professora Lélica Lacerda também foi indicada como suplente.

 

Também foi aprovado que a prestação de contas da gestão 2021-2023 será apresentada até fevereiro de 2024, a pedido do ex-presidente Leonardo Santos, que ficará indisponível para participar dos debates após esta data.

  

Delegados 42º Congresso do Andes-SN

 

O ponto de pauta de eleição de delegados para o 42º Congresso do Andes-Sindicato Nacional foi suspenso devido ao horário. No entanto, os presentes encaminharam que a Diretoria deve convocar nova assembleia com este ponto de pauta dentro das próximas duas semanas.

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Quarta, 01 Novembro 2023 16:35

 

A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária PRESENCIAL a se realizar:
Data: 07 de novembro de 2023 (terça-feira)
Horário: às 13h30 (Cuiabá) com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h00, em segunda chamada, com os presentes.

Pontos de pauta:

1 - Informes;
2 - Análise de conjuntura;
3 - Regimento Eleição Subseção do Araguaia;
4 - Progressão Funcional;
5 - Eleição de delegados para o congresso do ANDES;
6 - Prestação de Contas;
7 - Composição de conselho fiscal de gestões anteriores.


A Assembleia será presencial e ocorrerá simultaneamente no auditório da sede de Cuiabá e nos campi do Araguaia e SINOP.

 

Cuiabá, 01 de novembro de 2023.

Gestão Lutar e mudar as coisas nos interessa mais

Terça, 31 Outubro 2023 16:32

 

Assembleia Geral da Adufmat-Ssind realizada nesta terça-feira, 31/10, encaminhou participação na caravana que está sendo organizada pelas entidades que representam os servidores públicos em Brasília nos dias 07 e 08/11 para fortalecer a campanha salarial e aguardar os desdobramentos dos 28,86% sem indicativo de greve.

 

A convocação para debater e encaminhar essas questões foi publicada no dia 26/10, com os seguinte pontos de pauta: informes, análise de conjuntura, indicativo de greve dos 28,86%, e paralisação e caravana a Brasília pela campanha salarial (07 e 08/11).

 

Durante os informes, a diretora geral adjunta, Lélica Lacerda, falou sobre a ação judicial contra o parcelamento das férias na UFMT, que foi iniciada, mas até o momento não há manifestação. Esta questão deverá ser debatida juntos a outros pontos represados, que farão parte da pauta de uma nova assembleia, que será convocada na próxima semana. A diretora lembrou que já começou o prazo para inscrições de chapas candidatas à Reitoria da universidade.

 

Pelo Andes – Sindicato Nacional, o professor Breno dos Santos informou sobre o falecimento da professora Marinalva Oliveira, ex-presidente da entidade e grande referência de luta. Por conta disso, houve o adiamento de algumas atividades.  

 

A professora Ana Paula Sacco, diretora de Comunicação da Adufmat-Ssind, revelou que em breve será iniciado o processo eleitoral para representação local do sindicato no Araguaia.

 

Análise de conjuntura

 

No debate sobre conjuntura, as intervenções foram no sentido de que a precarização da Educação, as guerras e o não pagamento dos 28,86% estão relacionados, pois têm a ver com a centralidade do sistema capitalista, que não é o atendimento das necessidades humanas, mas o lucro de alguns.

 

“Por que não se executa os 28,86%? Porque o Haddad precisa garantir superávit primário para os bancos internacionais, por meio do pagamento da Dívida Pública. Nossa pauta não é exclusivamente jurídica. Acima do desembargador está o Governo Federal [representado pela Procuradoria Geral da União], existe uma dimensão política sim dessa questão”, afirmou Lélica Lacerda.

 

A docente destacou, ainda, que o mesmo Governo que denunciou um golpe, porque a Justiça estaria descumprindo a lei, sustenta agora políticas fiscais que atrapalham o cumprimento da determinação judicial de pagamento dos 28,86%. Além disso, é outra contradição discursar em defesa da democracia sem respeitar instituições e os poderes.   

 

O professor Breno Santos destacou que temas como carreira e recomposição salarial mobilizam a categoria desde o início do ano. “Há uma série de demandas apresentadas que não tiveram respostas satisfatórias por parte do governo”, afirmou.

 

A próxima reunião com o Governo Federal para debater a pauta salarial está agendada para 16/11, quando poderá ocorrer nova mobilização. Vale destacar que a defasagem salarial da categoria nos últimos 10 anos está em torno de 40%.

 

Indicativo de greve dos 28,86%:

 

Ao final das exposições sobre o processo dos 28,86%, que, de certa forma, costurou todos os pontos de pauta da assembleia, os presentes decidiram aguardar os desdobramentos jurídicos do caso sem indicativo de greve.

 

No entanto, aprovaram também a realização de ações para mobilizar os professores, especialmente os que são recém chegados ao serviço público, por meio de intervenções socioculturais e campanha de sindicalização, além da elaboração de uma nota explicativa sobre os 28,86%, com linguagem mais acessível a quem não pertence à área jurídica.    

 

Paralisação e caravana a Brasília pela campanha salarial (07 e 08/11)

 

Após debate, a plenária encaminhou que a Adufmat-Ssind vai aderir à caravana que está sendo organizada pelo Sintuf-MT, combinando com o sindicato dos servidores técnicos-administrativos qual será o tipo de transporte contratado para atender à adesão de docentes e técnicos. Os presentes entenderam, ainda, que não é possível construir paralisação neste momento, considerando que a UFMT está em período de recesso.

 

O sindicato fará uma matéria sobre a caravana, disponibilizando formulário para inscrição dos interessados.  

 

 

Luana Soutos

Assessoria de Imprensa da Adufmat-Ssind

Quinta, 26 Outubro 2023 16:59

 

A Diretoria da Adufmat-Ssind, no uso de suas atribuições regimentais, convoca todos os sindicalizados para Assembleia Geral Ordinária PRESENCIAL a se realizar:
Data: 31 de outubro de 2023 (terça-feira)
Horário: às 13h30 (Cuiabá) com a presença mínima de 10% dos sindicalizados e às 14h00, em segunda chamada, com os presentes.

Pontos de pauta:
1. Informes;
2. Análise de conjuntura;
3. Indicativo de greve dos 28,86%;
4. Paralisação e caravana a Brasília pela campanha salarial (7 e 8/11).


A Assembleia será presencial e ocorrerá simultaneamente no auditório da sede de Cuiabá e nos campi do Araguaia e SINOP.

 

Cuiabá, 26 de outubro de 2023.

Gestão Lutar e mudar as coisas nos interessa mais